fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Eleições municipais: Bancada de RR racha por eleição em Boa Vista

Até o fim de outubro, porém, os deputados terão de deixar a briga pelo poder de lado e chegar a um acordo sobre quais projetos vão indicar para o Orçamento de 2021

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE
A disputa pela prefeitura de Boa Vista pôs em lados opostos metade dos deputados federais de Roraima. Com quatro dos oito parlamentares da bancada envolvidos na campanha eleitoral, já se prevê dificuldades para definir o destino das emendas de bancada daquele Estado. Até o fim de outubro, porém, os deputados terão de deixar a briga pelo poder de lado e chegar a um acordo sobre quais projetos vão indicar para o Orçamento de 2021.

A deputada Shéridan (PSDB), que teve a candidatura oficializada em convenção nesta semana, terá como vice o filho do também deputado Haroldo Cathedral (PSD), José Haroldo Cathedral (PSD). Além dela, Antonio Nicoletti concorre pelo PSL e Ottaci Nascimento é o nome do Solidariedade. “Entendo que não é compatível seguir uma campanha e, ao mesmo tempo, defender os interesses de Roraima na Câmara Federal”, disse Nascimento.

Em seu segundo mandato na Câmara, Shéridan não vê prejuízo aos trabalhos da bancada durante a corrida eleitoral. “Vou continuar desempenhando minhas atribuições de deputada por entender ser possível compatibilizar a atividade parlamentar com a campanha”, afirmou.

Sob o argumento de que é o único “candidato independente” da disputa, Nicoletti também aponta a realização de sessões remotas como forma de não deixar a peteca cair na Câmara. “Continuo acompanhando. Agora é tudo pelo aplicativo. É mais fácil”, admitiu. “Houve uma análise do cenário atual em que a gente verificou que todos os outros pré-candidatos são ligados a grupos políticos aqui dentro do Estado.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nicoletti está no primeiro mandato e também se valeu do discurso de que as eleições não vão prejudicar as emendas para projetos do Estado. “Aliás, eu tentei colocar recursos (no Orçamento), mas a prefeitura não aceitou”.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade