fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Bolsonaro anuncia ‘pacote de bondade’ na Economia

Junto aos presidentes da Caixa e do Banco Central, Bolsonaro anunciou pagamento de dois meses de salário a microempresas e linha de crédito a santas casas

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Marcos Corrêa/ PR
PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta sexta-feira (27), alguns programas de benefício à população no que diz respeito à economia do país.

O primeiro deles é um programa de financiamento de folhas de pagamento para micro e pequenas empresas. O Banco Central financiará dois meses de salário mínimo aos funcionários dos empresários.

A linha emergencial é voltada para empresas que têm faturamento de R$ 360 mil até R$ 10 milhões por ano. Ao todo, o programa vai custar R$ 40 bilhões, sendo R$ 34 pagos pelo Tesouro Nacional e o restante da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, falou após Bolsonaro. Campos Neto explicou que o benefício é limitado a dois salários mínimos. Isto é, quem ganha três ou mais salários, ganhará dois.

Campos Neto anunciou também que o provento cairá direto na conta do funcionário, para assegurar a transparência do programa. A empresa que aderir ao benefício não poderá demitir nenhum colaborador no período da adesão. “Vale lembrar que o dinheiro vai direto para o funcionário, mas quem tem a dívida é a empresa. Todas as medidas estão alinhadas para que a empresa não demita o funcionário”, afirma o presidente, mencionando, também, que a proibição da demissão estará estipulada em contrato.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O programa foi formulado pelo Banco Central, o Ministério da Economia e o BNDES e deve entrar em vigor na semana que vem.

Trabalhadores informais

Perguntado sobre os benefícios voltados para trabalhadores informais, Campos Neto afirmou que o programa anunciado nesta sexta (27) é voltado para outra categoria, mas que as medidas “atendem bastante” o setor informal. “Nossa análise é segmentada. Esse programa é direcionado para esse setor que eu mencionei. Nós vamos ter alguma coisa em breve para as microempresas. As medidas tomadas atendem bastante o setor informal”, declarou.

Empresas de saúde

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, anunciou a criação de uma linha emergencial de R$ 2 bilhões para empresas de saúde. Segundo Montezano, o BNDES já tem um mapeamento de cerca de 30 empresas.

De acordo com o presidente, a linha de financiamento tem como diferencial a flexibilização de taxas, garantias e prazos. “A gente acredita que isso aqui será seguido por outros países do mundo”, afirmou.

A medida foi tomada tendo em mente a necessidade de se fortalecer o combate ao coronavírus.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Santas casas

Bolsonaro também anunciou uma linha de financiamento de R$ 5 bilhões às santas casas. Citando que ficou internado em uma unidade de Juiz de Fora-MG após ser atingido com um golpe de faca ainda na campanha das eleições de 2018, o presidente contou, também, que quem tiver dívidas com taxa de 20% poderá readequar os débitos mediante estudo.

Aguarde mais informações


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade