Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Saúde

Odontóloga ressalta a importância da higiene bucal de gestantes e bebês

Segundo a odontóloga, existem alguns cuidados indicados a todos, inclusive para as grávidas, principalmente na pandemia

A frase “a saúde começa pela boca” é conhecida, e não poderia ser diferente, afinal, é por meio dela que o ser humano se alimenta e recebe os nutrientes necessários para viver. Em gestantes, a atenção à saúde bucal já começa no pré-natal, para benefício próprio e do bebê.

Segundo Fernanda da Silva Prado, odontóloga e auditora da CAPESESP (Caixa de Previdência e Assistência aos Servidores da Fundação Nacional de Saúde), existem alguns cuidados indicados a todos, inclusive para as grávidas, principalmente durante a pandemia. “Se a pessoa identificar algum sintoma de Covid-19 em si mesma ou em alguém da família, é necessário fazer a troca da escova de dente por uma nova, mantendo-a em local apropriado e protegida com uma tampa, para evitar risco de infecção da escova e a contaminação bucal. Contudo, é muito importante que as grávidas se protejam ao máximo, até com a saúde bucal, já que fazem parte do grupo de risco”, esclarece a especialista.

Ao iniciar o acompanhamento gestacional, as mães devem passar por consulta odontológica, independentemente de ter alguma queixa ou não, pois o estado de saúde bucal apresentado durante a gravidez pode influenciar a saúde geral dela e do bebê. “As alterações mais frequentes, no decorrer do período gestacional, são o surgimento de cárie, erosão no esmalte dentário, mobilidade dos dentes, a gengivite e a periodontite, sendo a primeira a mais comum. Entretanto, esses problemas não são ocasionados pela gestação, mas sim por alterações na dieta, excesso de acidez do meio bucal e, principalmente, a desinformação sobre higienização. A gravidez, por si só, não determina a doença periodontal,” comenta a odontóloga.

Ela explica que a gravidez acentua a resposta gengival, modificando o quadro clínico em quem já apresenta falta de controle de placa. Por essa razão, as gestantes devem ser avaliadas quanto aos hábitos de higiene dos dentes; ao acesso à água fluoretada com níveis seguros, e à análise de outras doenças da boca. Já as gestações consideradas de alto risco, como quadros de pré-eclâmpsia, diabetes gestacional e hipertensão descontrolada, precisam buscar atendimento em locais especializados, disse.

“Após o nascimento, o aleitamento materno tem papel fundamental na dentição, no desenvolvimento respiratório, digestivo e na fala da criança. A manutenção de hábitos alimentares saudáveis, bem como a limpeza adequada da boca da mãe após as refeições e do recém-nascido após a amamentação trarão benefícios a ambos”, finaliza Fernanda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar