Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Pacheco fecha acordo e PEC será votada hoje no Senado

O adiamento contou com o apoio do senador Flávio Bolsonaro, líder do PL e filho do presidente Jair Bolsonaro

Foto: Pedro Gontijo/Senado Federal

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), fechou acordo e adiou para esta quinta-feira (30) a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que concede uma série de benefícios sociais às vésperas da eleição. O adiamento contou com o apoio do senador Flávio Bolsonaro, líder do PL e filho do presidente Jair Bolsonaro.

Pacheco chegou a levar a PEC ao plenário ontem, mas a oposição disse que precisava analisar o alcance do estado de emergência nacional previsto na proposta para viabilizar a concessão dos benefícios sem sanções da Lei Eleitoral a Bolsonaro. Com o adiamento, o prazo para a apresentação de emendas será reaberto.

O relator PEC, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que vai tirar do texto um trecho que causou dúvidas sobre o alcance do estado de emergência. “A não aplicação de qualquer vedação ou restrição prevista em norma de qualquer natureza”, dizia o trecho, criticado pela oposição, que agora deve ser suprimido por Bezerra.








Você pode gostar