Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

‘Motociata’ com Bolsonaro no Dia dos Namorados gera tensão no setor de bares e restaurantes

A previsão é que o horário do almoço, que coincide com o do ato bolsonarista, seja o mais procurado pelos casais

Foto: Reprodução

Mônica Bergamo
São Paulo, SP

A “motociata” em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) marcada para este sábado (12) na capital paulista tem provocado um clima de tensão e de expectativa entre donos de bares e restaurantes por coincidir com a celebração do Dia dos Namorados.

Segundo o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) em São Paulo, Joaquim Saraiva, a previsão é que o horário do almoço, que coincide com o do ato bolsonarista, seja o mais procurado pelos casais por causa da restrição de funcionamento imposta pelo Plano São Paulo -todos os estabelecimentos devem ser fechados até as 21h.

“Essa ‘motociata’ durante o dia, por ser das 10h até as 14h, pode influenciar nosso movimento. Algumas pessoas podem ficar presas no trânsito ou até mesmo receosas de sair de casa. Isso pode ter um efeito negativo”, afirma Saraiva. “Os casais de namorados não vão sair de casa às 18h ou às 19h para ter que ir embora às 21h. Ninguém janta nesse horário”, segue.

O presidente da Abrasel ainda afirma que a entidade não foi procurada por organizadores do evento para entrar em um acordo sobre a data da realização da “motociata”. “Depois do Dia das Mães, o Dia dos Namorados para bares e restaurantes é o que mais tem movimento”, explica sobre sua importância.

O evento com o presidente Jair Bolsonaro deve afetar o trânsito de ruas e avenidas da cidade de São Paulo no final da manhã e início da tarde de sábado, além de uma das principais rodovias do estado, que liga a capital a Campinas. Com saída programada para as 10h, a “motociata” tem início em Santana, na zona norte da cidade, e deve seguir pela marginal Tietê, a partir da ponte Governador Orestes Quércia, e continuar até o quilômetro 62 da rodovia dos Bandeirantes.

No retorno, o trajeto passará pela marginal Pinheiros, seguindo até a ponte Engenheiro Ari Torres e, dali, seguirá pela avenida dos Bandeirantes e avenida Rubem Berta, en cerrando no obelisco do Ibirapuera. A previsão é de que o ato chegue ao local por volta das 14h.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da FolhaPress






Você pode gostar