Política & Poder

Miragaya culpa 7 x 1 por fracasso na reeleição de Agnelo

Por Arquivo Geral 29/09/2018 9h20

Eric Zambon
[email protected]

Se tivesse metade da percentual de votos válidos que Agnelo Queiroz (PT) alcançou em sua tentativa fracassada de reeleição ao Governo de Brasília em 2014, Júlio Miragaya (PT) estaria entre os cinco primeiros colocados das pesquisas de intenção de voto recentes. A realidade, no entanto, tem colocado o ex-diretor da Codeplan com 3%. Perguntado, na saída do debate da Record Brasília, na sexta-feira (28), se a rejeição de 50% de seu antecessor refletia em sua candidatura, Miragaya deu sua visão sobre a impopularidade do ex-chefe do Executivo: “O 7 x 1 matou o governo Agnelo.”

Segundo o petista que tenta o Buriti nestas eleições, a construção do Estádio Nacional Mané Garrincha nas proporções – e custos- que aconteceram foi um erro. “Na época, a própria oposição não foi contra, porque havia expectativa de termos a abertura da Copa em Brasília, mas era óbvio que isso iria para São Paulo”, ponderou, acrescentando que ele não foi a favor da obra na magnitude vista – gerou gastos na ordem de R$ 2 bilhões e existe investigação contra Agnelo e Arruda por supostos desvios.

Miragaya ainda foi além na análise. Para ele, o fato de a Copa ter acontecido em julho, período de campanha eleitoral em 2014, fez com que o 7 x 1 acachapante que o Brasil tomou da Alemanha na semifinal do torneio se convertesse em má avaliação para o governo Agnelo. “Eu creio que se não tivesse tido estádio ou resultado dentro de campo, hoje ele poderia ser governador do DF”, especulou.

Sobre o pleito atual, o petista disse crer em uma “arrancada final” da legenda, que tradicionalmente tem força no DF, e criticou adversários como Ibaneis Rocha (MDB) que, segundo ele, tem tido acesso a números impreciso sobre emprego e desemprego na cidade, área que ele domina.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar