Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Diretor da Prevent Senior avisa que não vai à CPI hoje

Advogados de Pedro Batista Júnior afirmam que não há tempo hábil para que ele venha de São Paulo e deponha nesta manhã

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Convocado para depor nesta quinta-feira (16), o diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, enviou comunicado à CPI da Pandemia afirmando que não comparecerá à sessão.

A defesa de Pedro Júnior disse que a convocação chegou apenas na tarde de quarta (15), e que, por estar em São Paulo-SP, não haveria tempo hábil para que o diretor chegasse a Brasília-DF na manhã desta quinta (16). O estafe ressaltou ainda que deve haver um prazo de 48 horas entre a intimação e o depoimento.

A informação da ausência foi antecipada pelo Blog do Valdo Cruz. Mesmo considerando que não teria condições de comparecer, Pedro Júnior foi ao Supremo (STF) em busca de habeas corpus para ficar em silêncio durante a sessão e conseguiu a liminar.

A Prevent Senior é suspeita de forçar médicos conveniados a prescreverem medicamentos do “tratamento precoce” contra a covid-19. Pacientes também denunciam que teriam sido assediados para aceitar os remédios, que não são eficazes.

No requerimento de convocação aprovado, de autoria do senador Humberto Costa (PT-PE), o parlamentar ressalta que a aquisição, distribuição e indução ao uso dos medicamentos como a cloroquina e a hidroxicloroquina “revela inadequado investimento de recursos públicos em medida sanitária desprovida de respaldo científico”.

Empresa ocultou mortes

Relatório obtido pela CPI e divulgado pela GloboNews aponta que a Prevent Senior fez estudo para testar a eficácia da hidroxicloroquina associada à azitromicina e ocultou mortes causadas pela covid. A pesquisa foi apoiada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

No relatório, constam os nomes de todos os participantes do estudo. Nove deles morreram, mas a Prevent menciona apenas duas mortes. Um médico disse que a pesquisa foi manipulada para transmitir sensação de que a cloroquina seria eficaz contra o novo coronavírus. Segundo ele, o resultado já estava pronto muito antes da conclusão dos trabalhos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar