Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Deputada bolsonarista expõe apoio político de comandante da Aeronáutica

Ela escreveu: “Acabo de ouvir do comandante Baptista Junior que estou honrando seu voto. Muito obrigada, brigadeiro!”

Em novo caso de manifestação política de um alto integrante das Forças Armadas, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) publicou nesta sexta-feira, dia 11, no Twitter, o relato de uma conversa em que o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior, teria admitido o voto nela e elogiado sua atuação na Câmara. Ele não se pronunciou sobre a mensagem, mas “curtiu” comentários de seguidores da parlamentar.

Uma das principais defensoras do presidente Jair Bolsonaro no Congresso e expoente da base ideológica de direita, a deputada usou as redes sociais para se vincular a elogios atribuídos ao brigadeiro Baptista Junior. Ela escreveu: “Acabo de ouvir do comandante Baptista Junior que estou honrando seu voto. Muito obrigada, brigadeiro! É uma honra para mim ter o seu reconhecimento como meu eleitor”. A mensagem foi divulgada com foto ao lado do comandante-geral da Força Aérea Brasileira (FAB)

O comandante-geral não respondeu o teor da publicação da deputada, mas interagiu com ela. Baptista Junior curtiu a publicação de um seguidor que, em resposta à parlamentar, afirmou: “A FAB representando o que há de melhor na política!”. Em outra “curtida”, o brigadeiro endossou o recado de um seguidor que se apresentou como soldado do Exército e escreveu: “Em poucos dias o novo comandante deu uma guinada na FAB. Não tem preço saber que ele interage com o Brasil e o seu bem maior, o povo brasileiro!”

Dos atuais comandantes-gerais das Forças Armadas, Baptista Junior é o mais ativo nas redes sociais e já havia externado antes visões coincidentes com as do presidente e parlamentares bolsonaristas, como críticas à esquerda e ao comunismo e elogios à campanha de vacinação contra a covid-19. O perfil alinhado ideologicamente ao Palácio do Planalto havia agradado Bolsonaro durante o processo de escolha do novo comandante, no fim de março.

Na semana passada, o comandante-geral do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, decidiu isentar de punição o general de Divisão da ativa Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde e atual secretário de Estudos Estratégicos no Planalto, por ter participado de ato político ao lado de Bolsonaro no Rio e discursado em cima de um carro de som.

Procurados pela reportagem, nem o brigadeiro nem a parlamentar responderam até a publicação deste texto.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar