Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Chegada das vacinas infantis movimentam o Ministério da Saúde nesta quinta (13)

Ao todo, o lote contém 1,2 milhões de doses vindas da Europa. A Pasta espera, até o final do mês, a chegada de 4,3 milhões milhões de vacinas

Foto: Sérgio Lima/ AFP

O primeiro lote de vacinas contra a covid-19, para crianças de 5 a 11 anos de idade, chegaram ao Brasil. Na manhã desta quinta-feira (13), as doses da Pfizer desembarcaram no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Para 2022, o Governo Federal assinou um contrato para aquisição de mais de 100 milhões de doses da empresa farmacêutica.

Ao todo, o lote contém 1,2 milhões de doses vindas da Europa. O Ministério da Saúde espera, até o final do mês, a chegada de 4,3 milhões milhões de vacinas. A estimativa é de 20 milhões de crianças brasileiras vacinadas contra a covid-19. Todos os imunizantes devem ser entregues no primeiro trimestre. Além das unidades de janeiro, 7,3 milhões devem ser entregues em fevereiro e outras 8,4 milhões em março.Autorizada pela Anvisa, a vacinação infantil terá um intervalo de oito semanas entre a primeira e segunda aplicação.

A embalagem de dose infantil tem características que diferem da dose adulta. Enquanto a primeira (de dosagem inferior) tem um lacre laranja, a de adulto tem a cor azul. De acordo com a pasta, as vacinas vão passar por um processo de controle de qualidade, temperatura e análise eserão distribuídas de forma proporcional aos estados.

A vacinação infantil será realizada por faixa etária, de forma decrescente, dos 11 aos 5 anos. Após a polêmica sobre a necessidade de uma autorização dos pais para a aplicação de dose, a medida foi revogada. Entretanto, os pais devem estar presentes no momento da vacinação, sendo necessário a autorização em caso de outro responsável do jovem. Crianças com comorbidades ou deficiência permanente, quilombolas e índios, tem prioridade.

Queiroga exalta sistema de vacinação

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, acompanhou a chegada das vacinas pediátricas ao Brasil. Antes do desembarque, Queiroga postou uma mensagem em seu perfil no Instagram pedindo aos brasileiros que continuem se vacinando.

Em entrevista coletiva após o desembarque dos imunizantes, o ministro voltou a alertar sobre a importância da vacinação. “É necessário reafirmar a orientação para aqueles que não tomarem a segunda dose e os que ainda não tomaram a dose de reforço, procurem a sala de vacinação para completar o esquema vacinal”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Países que estão fortemente vacinados tem a possibilidade de passar pela variante ômicron, entre outras variantes que por um acaso possa surgir”, completou Queiroga, sobre o aumento de casos da variante ômicron no país.








Você pode gostar