Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Simone Tebet vê “firmeza de propósito” em Aras sobre análise do relatório da CPI

Otimista, senadora disse que, “diferentemente de outros posicionamentos do procurador, eu vi, por parte dele [Aras], uma firmeza de propósito”

Por Willian Matos 27/10/2021 12h24
Foto: Pedro França/Agência Senado

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) demonstrou otimismo sobre o trabalho do procurador-geral da República, Augusto Aras, no que diz respeito à análise do relatório da CPI da Pandemia. Membros do “G7” da comissão se reuniram com Aras nesta quarta-feira (27).

O relatório final da CPI, votado ontem, indiciou 80 pessoas. Entre os nomes, há cidadãos com foro privilegiado, como o presidente Jair Bolsonaro, ministros e deputados. A PGR é quem analisará os indiciamentos de pessoas com esta prerrogativa. Levantou-se uma suspeita de que Aras poderia arquivar o relatório por ter sido indicado à PGR por Bolsonaro. Simone disse, no entanto, que sentiu “firmeza” na fala do procurador-geral, que disse que se baseará no regimento.

“A resposta do procurador foi muito firme”, disse Simone. Segundo a senadora, Aras pediu que os membros da CPI façam um ‘fatiamento’ dos indiciados e entreguem ao procurador os nomes de quem possui foro privilegiado. “Inclusive, aqueles que embora não sejam autoridades, pelo crime conexo, também serão de competência de análise da PGR. Isso me impressionou nesse sentido”, complementou.

“Ele [Aras] tem esse prazo de 30 dias, e nós estaremos acompanhando através do observatório [Observatório da pandemia, criado após o fim da CPI]. Mas, diferentemente de outros posicionamentos do procurador, eu vi, por parte dele, uma firmeza de propósito, a ponto de ele afirmar: ‘Olha, eu tenho consciência que eu represento aqui todo um órgão de fiscalização de controle, que é o Ministério Público’. Ele quis dizer que ele sabe a responsabilidade que tem”, comentou a senadora. Tebet relembrou ainda que o Senado pode fiscalizar os poderes caso haja arquivamento do relatório sem justificativa.

Mais cedo, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) também havia falado que a PGR se comprometeu a investigar todos com foro privilegiado. “No nosso encontro da CPI da Covid com Aras, ficou definido que a PGR vai investigar todos os denunciados no relatório que tem foro privilegiado. Confrontado sobre um engavetamento até o fim do ano, Aras disparou que tem compromisso com as instituições e regramento republicanos”, disse Carvalho.

O relatório também foi levado pelos senadores ao Supremo Tribunal Federal (STF). O senador registrou a visita nas redes sociais. “Depois de fazermos a entrega ao procurador-geral e haver o compromisso de continuar com a investigação iniciada pela CPI da Covid, chegamos ao STF para compartilhar também com o ministro Alexandre de Moraes as provas contidas neste relatório”, disse Rogério. “Tem muita informação que vai contribuir para outras investigações”, prevê.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar