Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Principais reações após a anulação do direito constitucional ao aborto nos EUA

A decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos de revogar o direito constitucional ao aborto atende a um desejo antigo dos conservadores

Foto: AFP

A decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos de revogar o direito constitucional ao aborto atende a um desejo antigo dos conservadores e da direita religiosa, mas devasta os defensores da liberdade reprodutiva das mulheres.

Seguem algumas das principais reações:

Elogios

Ex-presidente republicano Donald Trump:

A anulação do direito ao aborto responde à “vontade de Deus”, declarou o ex-presidente Donald Trump quando questionado pelo canal Fox News.

A decisão “segue a Constituição” e “traz tudo de volta ao nível estadual, o que sempre deveria ter sido o caso”, acrescentou.

Ex-vice-presidente republicano Mike Pence:

“Ao devolver o tema do aborto aos estados e ao povo, a Suprema Corte corrigiu um erro histórico”, disse o ex-braço direito de Donald Trump (2017-2021), assinalando a histórica sentença “Roe v. Wade” de 1973, que consagrou o direito constitucional ao aborto no país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Marjorie Dannenfelser, presidente da organização antiaborto Susan B. Anthony List :

“Depois de 50 anos de pressão, construindo centros de esperança para atender as mulheres grávidas, rezando de joelhos e garantindo que a poderosa voz fosse escutada nessas eleições, chegamos a este dia (…) o primeiro de um brilhante futuro pró-vida para nossa nação”, manifestou.

Kevin McCarthy, líder republicano na Câmara de Representantes (baixa):

“Cada criança a nascer é preciosa, extraordinária e digna de proteção. Aplaudo este fato histórico, que salvará inúmeras vidas inocentes. A Corte tem razão em devolver o poder de proteger os não nascidos aos representantes eleitos pelo povo no Congresso e estados”, expressou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Críticas

Presidente Joe Biden:

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que a decisão da Suprema Corte foi um “erro trágico” e resultado de uma “ideologia extremista”.

“A saúde e a vida das mulheres deste país estão agora em perigo”, martelou o democrata em um discurso solene na esteira do julgamento histórico, lamentando um “dia triste” para a América.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele pediu ainda para continuar a luta de forma “pacífica” e defender “nas urnas” o direito ao aborto e todas as outras “liberdades pessoais”.

Ex-presidente democrata Barack Obama:

“Hoje, a Suprema Corte não apenas reverteu quase 50 anos de precedente histórico, mas relegou a mais pessoal decisão que alguém pode tomar aos caprichos de políticos e idealistas -atacando as liberdades fundamentais de milhões de americanos”, reagiu o ex-presidente (2009-2017) no Twitter.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ex-primeira-dama Michelle Obama:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Estou desconsolada pelas pessoas deste país que acabam de perder o direito fundamental a tomar decisões conscientes sobre seus próprios corpos. Me parte o coração que agora estamos destinados a aprender as dolorosas lições de um tempo anterior à conversão do ‘Roe v Wade’ em lei no país – uma época na qual as mulheres corriam risco de perder a vida ao recorrerem a abortos ilegais”, disse.

Anistia Internacional/Estados Unidos:

“O aborto é um direito humano. Para todos. Em todas as partes. Nunca deixaremos de lutar”, afirmou a organização.

Presidente da Câmara de Representantes, a democrata Nancy Pelosi:

“Com (a sentença) ‘Roe v Wade’ agora revogada, os republicanos radicais estão avançando com sua cruzada para criminalizar a liberdade de saúde. No Congresso, os republicanos estão tramando uma proibição do aborto em todo o país”, enfatizou.

© Agence France-Presse








Você pode gostar