Menu
Mundo

Hunter Biden, o filho problemático e tormento político do presidente dos EUA

Advogado, empresário e atualmente convertido em artista plástico, o único filho vivo do presidente americano foi declarado culpado nesta terça

Redação Jornal de Brasília

11/06/2024 18h22

Apesar de seus problemas com a Justiça, um passado turbulento por dependência química e negócios controversos no exterior que o tornam alvo recorrente da oposição republicana, o presidente americano Joe Biden reafirma que estará “sempre” ao lado de Hunter, seu filho considerado culpado, nesta terça-feira (11), de posse ilegal de arma de fogo.

Advogado, empresário e atualmente convertido em artista plástico, o único filho vivo do presidente americano foi declarado culpado nesta terça de mentir durante a aquisição de uma arma de fogo em 2018, quando assinou um documento garantindo que não consumia drogas proibidas.

A acusação assinalava que Hunter, de 54 anos, “sabia que era consumidor de crack ou [que era] dependente”. Sem prestar depoimento, ele se declarou inocente. Seu advogado assegurou aos jurados que seu cliente “já não consumia drogas” no momento da compra da arma.

Por sua vez, Joe Biden, que busca a reeleição em novembro, nunca se manifestou em detalhe sobre os problemas judiciais de seu filho e sempre lhe ofereceu apoio e amor paterno.

Nesta terça-feira, após o veredicto, o presidente voltou a garantir que “respeitará” as decisões e o curso da Justiça e que não concederá indulto presidencial a Hunter.

“Jill [Biden, a primeira-dama] e eu mesmo estaremos sempre aqui para Hunter […] Isso nunca vai mudar”, reafirmou Biden, reiterando que “amava” seu filho e que estava “orgulhoso” dele.

“Sou o presidente, mas também sou pai”, disse Biden em um comunicado. “Muitas famílias em que algum de seus membros luta contra o vício podem entender o orgulho que se sente ao ver alguém amado sair dele e ser forte e resiliente na recuperação”, acrescentou.

Hunter também é alvo de denúncias no Congresso pelo Partido Republicano, vinculadas a seu passado como homem de negócios.

Por essas questões, o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano Kevin McCarthy, ordenou uma investigação para tentar destituir o presidente.

Hunter também deverá se apresentar à Justiça na Califórnia em setembro por fraude fiscal, um caso que concentra as atenções da mídia conservadora quando seu pai tenta colocar o foco sobre seu rival, Donald Trump, o primeiro ex-presidente dos Estados Unidos condenado na Justiça penal.

À sombra do irmão mais velho

Joe Biden fala pouco em público sobre Hunter, mas frequentemente evoca a memória de seu primogênito, Beau, que também se tornaria presidente dos Estados Unidos se não tivesse morrido em 2015 de câncer cerebral, segundo o próprio Biden.

A vida de Hunter parece a antítese da de seu irmão, com quem tinha uma relação estreita, forjada depois que ambos foram vítimas de um grave acidente de automóvel em 1972, que custou a vida de sua mãe, a primeira esposa de Joe Biden, e da irmã mais nova dos dois rapazes.

Beau parecia destinado a ter uma carreira política nacional, enquanto Hunter tinha pouco destaque como advogado e homem de negócios. Beau também lutou como soldado na guerra no Iraque, já Hunter foi expulso da Marinha em 2014 por consumo de cocaína.

Em seu livro autobiográfico “Beautiful Things” (“Coisas Bonitas”, em tradução livre), de 2021, Hunter Biden relata suas bebedeiras com vodca e perambulações noturnas pelos subúrbios em busca de drogas, tentativas fracassadas de desintoxicação ou “affairs” efêmeros com a viúva de seu irmão.

Sobre seu pai, escreveu: “Jamais me abandonou, nunca me ignorou, nem me julgou”. “Por momentos, sua perseverança até me impressionava”.

“Oi, aqui é o papai. Estou ligando para lhe dizer que amo você. Amo você como nada no mundo, rapaz. Você precisa se tratar”. Segundo a emissora Fox News, essa foi uma mensagem de voz que Joe Biden deixou para seu filho em 2018.

Em maio de 2023, em entrevista à emissora MSNBC, o presidente americano declarou: “Tenho confiança nele. Tenho fé nele e estou orgulhoso dele”.

Desde o início de ano, Biden passou a dar mais visibilidade midiática para seu filho. Hunter esteve onipresente durante uma visita oficial do presidente à Irlanda em abril e também foi visto vestido com traje de gala entre os convidados em um jantar de Estado em recepção ao primeiro-ministro indiano.

Ucrânia

A direita acusa Hunter Biden de ter usado a influência de seu pai, então vice-presidente de Barack Obama (2009-2017), em benefício de seus negócios no exterior, especialmente na Ucrânia.

“Nunca fiz nada antiético”, afirmou Hunter Biden, antes de acrescentar: “Eu não faria isso de novo”.

Hoje ele garante estar livre da dependência química. Voltou a se casar, é pai de um pequeno menino chamado Beau, assim como seu finado irmão, e se dedica à pintura.

Mas o passado volta de vez em quando para atormentá-lo e, consequentemente, também a seu pai.

Recentemente, o presidente democrata admitiu que não tinha seis, mas sete netos, ao reconhecer a existência de uma menina fruto de um relacionamento de Hunter Biden.

A oposição republicana denunciou de imediato o contraste entre o silêncio de Joe Biden sobre a pequena Navy e a imagem pública de patriarca afetuoso que ele cultiva.

© Agence France-Presse

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado