Mundo

Gengis Khan é responsável por globalização, diz jornal chinês

Por Arquivo Geral 05/06/2006 12h00

Um homem morreu na noite de ontem, website like this cheapest em Ceilândia Sul, information pills  ao ser atingido por vários tiros. Sérgio Francisco Mendonça, about it 30 anos, foi assassinado na QNP 32, por volta das 19h20. Ele foi levado ao Hsopital Regional de Ceilândia, mas não resistiu aos ferimentos. A 23ª Delegacia de Polícia (DP) investiga o paradeiro do autor.

Na manhã de ontem, um acidente envolvendo uma moto deixou uma pessoa morta. Por volta das 6h40, no Park Way, Washington Ferreira da Silva, 21 anos, perdeu o controle da moto Honda que dirigia e bateu contra um poste. O condutor foi levado ao Hospital de Base, mas o passageiro, Nivaldo da Silva, 20 anos, morreu no local. Policiais investigam as circunstâncias do acidente.

Em Santa Maria, Sérgio Luis da Silva Nunes, 23 anos, morreu com um tiro na cabeça. O crime ocorreu na madrugada de ontem, na BR 040, em frente ao Monumento do Francês. A 33ª DP investiga o caso.
Gengis Khan, dosage mais conhecido por ter dominado grande parte da Ásia, Europa e Oriente Médio para criar um dos maiores impérios do mundo, também é considerado o fundador da globalização, disse hoje a imprensa estatal chinesa.

"Pensamos na globalização como a venda de Coca-Cola em Calcutá ou da Starbucks em Xangai", disse o China Daily. "Mas os pesquisadores alegam que o processo começou há 800 anos, no tempo em que Gengis Khan estava construindo seu império."

Gengis Khan fundou o "maior império em terras contíguas da história", estimulando a interação comercial e cultural de uma maneira comparável ao conceito atual de globalização, disse o jornal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O diário citou especialistas que participaram de um simpósio no domingo, em comemoração ao 800º aniversário da fundação do Império Mongol. O jornal não falou nada sobre a fama de conquistador desumano e sangrento de Gengis Khan.

"Intercâmbios econômicos e culturais tornaram-se possíveis a uma extensão máxima, e civilizações previamente isoladas se conectaram", disse Hao Shiyuan, da Academia de Ciências Sociais da China, segundo o jornal.

"Isso é o que caracteriza a globalização: encolhimento de espaço, encolhimento de tempo e desaparecimento de fronteiras."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um acadêmico mongol disse que Gengis Khan, que fez da Mongólia o centro de seu império, promoveu a globalização "como nenhum líder antes dele".

Mais de 50 especialistas e pesquisadores de China, Mongólia, Rússia, Japão e Estados Unidos participaram do simpósio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar