Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Bill Gates desconversa ao ter de falar sobre sua proximidade com Epstein, acusado de crimes sexuais

Em reportagem de 2019, o New York Times sustentou que a relação entre os dois começou após Epstein já ser alvo de investigações

Por FolhaPress 22/09/2021 12h52
Foto: Reprodução/Redes sociais

O cofundador e ex-chefe da Microsoft Bill Gates desconversou e demonstrou constrangimento ao responder perguntas sobre sua relação com o financista Jeffrey Epstein, acusado de crimes sexuais. A proximidade de Gates com Epstein foi abordada durante entrevista, nesta terça-feira (21), ao telejornal americano News Hour, da PBS.

Em reportagem de 2019, o New York Times sustentou que a relação entre os dois começou após Epstein já ser alvo de investigações, e inclusive acusações formalizadas, de abusos sexuais. Ele era administrador de um fundo de investimento e foi encontrado enforcado em uma prisão de Nova York, em 2019, aos 66 anos, enquanto aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual de crianças.

Questionado sobre o que sabia na época em que tinha Epstein em seu círculo de conhecidos, Bill Gates afirmou que o financista dizia ter contatos de pessoas que poderiam doar para a causa da saúde global, área na qual atua a Fundação Gates. A entidade é uma das maiores do mundo e foi criada por Gates e sua ex-mulher, Melinda. “Aqueles encontros foram um erro. Eles não resultaram naquilo que que ele propunha, então eu parei. Isso foi há muito tempo e não há nada de novo nisso”, afirmou.

Quando a apresentadora insistiu no assunto e perguntou o que ele havia feito quando descobriu sobre o passado de Epstein, Gates desconversou. “Eu falei, eu me arrependo desses jantares. Não há nada de novo nisso”, afirmou. “Bom, ele está morto. Então, em geral, devemos ser cautelosos”, respondeu sobre lições a partir do que havia ocorrido.

Epstein foi amigo de inúmeras celebridades ao longo dos anos, incluindo o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton e o príncipe Andrew do Reino Unido. Em maio deste ano, o New York Times e o Wall Street Journal mencionaram os jantares entre Gates e Epstein, que teriam sido objeto de perguntas do conselho de diretores da Microsoft e despertado descontentamento da agora ex-esposa de Gates.

Gates e Melinda, que cofundaram uma instituição de caridade duas décadas atrás para combater a pobreza e as doenças no mundo, anunciaram o divórcio em 3 de maio, após 27 anos de casamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar