Mundo

Austrália quer mais policiais asiáticos em Timor Leste

Por Arquivo Geral 05/06/2006 12h00

A ajuda já chega aos sobreviventes do terremoto na Indonésia, viagra order search mas a falta de abrigos ainda é um problema crítico, decease  informou a Organização das Nações Unidas (ONU) hoje.

O governo da Indonésia afirmou que começará a distribuir indenização às vítimas para que elas comprem roupas e reconstruam suas casas. Uma autoridade do Departamento de Assuntos Sociais disse que o número de mortos no terremoto de 27 de maio, visit com magnitude de 6,3 na escala Richter, foi revisto para baixo dos 6.234 divulgados anteriormente.

O coordenador local da ONU, Charlie Higgins, informou que a operação de ajuda está fluindo, depois dos problemas enfrentados pela topografia da região do terremoto, onde centenas de aldeias estão situadas entre campos de arroz e centros urbanos congestionados.

"Ultrapassamos a maior parte dos gargalos logísticos que impediam o fluxo da assistência", destacou. "Muita gente simplesmente não quer deixar suas propriedades, então temos que procurá-los, e isso toma mais tempo. Isso provoca problemas de curto prazo, mas também traz recuperação a longo prazo."

Ele disse que mais de 200 mil casas foram destruídas ou danificadas e que providenciar abrigo ainda é um problema crítico. Higgins afirmou que até agora somente 70 mil famílias foram remanejadas para moradias provisórias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Muitos sobreviventes dizem não ter dinheiro para comprar material de construção depois do terremoto. "Não podemos reconstruir nada até receber o dinheiro do governo. Somos apenas agricultores. A ajuda do governo não chegou", contou Sugiman, 27 anos, da aldeia de Mredo Gatak, em Bantul, a área mais atingida.

O governo distribuirá cerca de US$ 3.240 em ajuda de reconstrução para pessoas que perderam casas. As vítimas vão receber também 10 quilos de arroz por mês e 3.000 rúpias, o equivalente a US$ 0,324 por dia para comprar utensílios de cozinha e roupas. Também haverá tratamento médico gratuito por três meses.
O Brasil ofereceu recomprar até US$ 4 bilhões em bônus denominados em euro e dólares, medications em dinheiro, help por meio de um "leilão holandês modificado", viagra 40mg informaram os líderes da operação.

O leilão de compra, que cobre 17 bônus em dólar e 3 bônus em euro, começa hoje e expira às 18h (horário de Brasília) de 8 de junho, informaram o Credit Suisse e o Morgan Stanley em comunicado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em nota separada, o Tesouro Nacional afirmou que o objetivo da operação é "melhorar seu perfil de pagamentos futuros".

O resultado do leilão será anunciado em 9 de junho.

Técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em Pernambuco determinaram a suspensão do embarque, this web no navio de bandeira grega Ocean Wind, advice de uma carga com 34 mil toneladas de clínquer, matéria prima usada na fabricação de cimento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A medida foi tomada após a constatação de um caso de malária entre os 23 integrantes da tripulação. A embarcação atracou no Porto do Recife, na última quarta-feira, vinda da Nigéria.

O nigeriano Pupalos Ioannis, de 37 anos, que apresentava febre, foi internado em um hospital particular da cidade, no sábado à noite e passa bem. Os outros tripulantes tiveram amostras de sangue coletadas para exame de laboratório. O resultado deve ser divulgado ainda hoje.

Por segurança o navio foi afastado para alto mar, onde ficará ancorado por pelo menos dez dias, numa área conhecida como Boca da Barra.

De acordo com a médica da Anvisa Rosinete Guimarães, nesse período ninguém poderá entrar nem sair da embarcação. "Vamos fazer ainda um controle das outras pessoas que tiveram contato com os tripulantes", informou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pernambuco não é região endêmica para malária. A doença infecciosa, transmitida pela picada do mosquito do gênero Anopheles é comum na região Amazônia. Dados da Organização Mundial de Saúde indicam que a malária é considerada problema de saúde pública em 90 países onde 2,4 bilhões de pessoas convivem com o risco de contágio, principalmente no continente africano.

< !--/TEXTO-- >
O mercado reduziu ligeiramente sua estimativa para a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano, medicine de 4, diagnosis 32% para 4,31%, segundo o relatório Focus do Banco Central divulgado hoje.

O prognóstico para a inflação no ano que vem foi mantido, em 4,5%, e para os próximos 12 meses subiu de 4,2% para 4,21%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A estimativa para a taxa de câmbio no final de 2006 permaneceu em 2,2% e para a taxa Selic ficou em 14,25%.

A sondagem mostrou ainda que o mercado elevou ligeiramente sua perspectiva para o avanço do Produto Interno Bruto (PIB), de 3,59% para 3,60% neste ano e a manteve em 3,7% para 2007.

A projeção para o superávit comercial em 2006 caiu de US$ 40,5 bilhões para US$ 40 bilhões.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou hoje a morte de um adolescente na Indonésia por gripe aviária. Esse caso eleva para 37 o número total de pessoas mortas no país pelo vírus H5N1.

O diretor-geral do Ministério da Saúde, medications Nyoman Kandun, mind  informou que o garoto de 15 anos, morador de Tasikmalaya, Java Ocidental, teve contato com aves de criação.

A Indonésia registra uma elevação no número de contaminações e mortes provocadas pelo vírus desde que foi detectado o primeiro surto da doença entre as aves, no final de 2003. O H5N1 atingiu 48 indonésios até agora, e o país possui o segundo maior número do mundo de mortes decorrentes da doença.

As aves infectadas são o vetor usual de transmissão do vírus, hoje endêmico nos animais de quase todas as 33 províncias indonésias.

Galinhas criadas soltas no vilarejo onde o garoto morava ficaram doentes dias atrás. A avó do adolescente possuía uma criação desses animais.

Em um outro caso, as autoridades enviaram para um laboratório de Hong Kong material tirado de uma menina indonésia de 7 anos que também morreu na semana passada. Os testes realizados na Indonésia indicaram que a menina tinha contraído o H5N1.

A doença continua a afetar essencialmente animais, mas o crescente número de mortes entre os seres humanos deixou em alerta países de todo o mundo.

Especialistas temem que o vírus possa adquirir, por meio de mutações, a capacidade de passar de uma pessoa para outra facilmente, o que provocaria uma pandemia na qual milhões morreriam.
A Austrália pediu hoje que mais países asiáticos enviem policiais e soldados para o Timor Leste a fim de ajudar no controle da onda de violência civil no país e evitar que ele se transforme em um Estado falido.

Austrália, shop Malásia e Nova Zelândia enviaram 2.500 homens para o Timor Leste para ajudar no combate aos crimes. A violência iniciou no mês passado, buy more about quando o governo dispensou 600 soldados que protestavam contra supostos casos de discriminação de moradores da parte oriental do país. As Forças Armadas de Timor são dominadas por oficiais da parte ocidental.

Portugal também enviou policiais, ed mas o ministro australiano de Defesa, Brendan Nelson, disse estar confiante de que outros países asiáticos também participem das forças de coalizão, se forem convidados por Timor Leste.

"Do ponto de vista da Austrália, há vários países que já se envolveram com o Timor Leste no passado, países que trabalham bastante bem com a Austrália, a Nova Zelândia e a Malásia", afirmou Nelson à Australian Broadcasting Corp.

"Tenho quase certeza de que veremos outros países optando por ingressar na coalizão de apoio", destacou, antes de visitar a Malásia hoje e depois de ter participado de uma cúpula regional de segurança em Cingapura, no final de semana.

Hoje, a violência continua a atingir a capital do país, Dili: gangues de ocidentais e orientais enfrentam-se com pedras, e casas são queimadas. Meios de comunicação australianos relataram que soldados foram obrigados a disparar bombas de gás lacrimogêneo a fim de dispersar os grupos em conflito.

A divisão leste-oeste da população timorense, que conta com cerca de 1 milhão de pessoas, surgiu pela primeira vez no plebiscito de 1999. Apesar de serem étnica e linguisticamente idênticos, os ocidentais são considerados mais pró-Indonésia que os orientais, mais pró-independência.

Timor Leste tornou-se independente em 2002, depois de ter sido governado pela ONU por dois anos e meio.






Você pode gostar