Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Referendo da Itália não muda situação da economia ou de bancos, diz Dijsselbloem

Por Agência Estado 01/01/1970 4h00

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, disse hoje que a vitória do “não” no referendo da Itália sobre uma proposta constitucional do governo não muda a situação da economia do país ou de seus bancos. O resultado do referendo, realizado ontem, levou o primeiro-ministro Matteo Renzi a anunciar sua renúncia.

“O processo de lidar com alguns dos bancos (italianos) que têm problemas vai continuar e precisa continuar”, comentou Dijsselbloem.

O ministro de Finanças da Itália, Pier Carlo Padoan, decidiu mais cedo não participar de uma reunião prevista para hoje do Eurogrupo, que é formado por ministros de Finanças da zona do euro.

Dijsselbloem também alertou contra previsões prematuras para as eleições que serão realizadas no próximo ano na Alemanha, França e Holanda, na esteira do referendo italiano.

“Acho que qualquer um que esteja convicto sobre o resultado das eleições na Holanda, Alemanha e França provavelmente estará errado. É muito difícil de prever. A única coisa que sabemos é que os eleitores estão, de uma certa forma, se movimentando mais…estamos saindo de uma crise profunda. Que durou muito tempo. E afetou a vida de muitos,” disse Dijsselbloem. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte: Estadao Conteudo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar