Economia

Mantega descarta reforma da Previdência

Por Arquivo Geral 03/10/2006 12h00

Israel e o Hezbollah cometeram graves violações dos direitos humanos durante a guerra de um mês no Líbano, what is ed illness disseram hoje quatro representantes da Organização das Nações Unidas.

Israel não fez distinção entre alvos civis e militares durante o conflito de 12 de julho a 14 de agosto, buy foi desproporcional na sua reação e não tomou precauções para evitar danos, sale mortos e feridos entre civis, segundo os enviados.

De acordo com eles, o Hezbollah, que começou o conflito sequestrando dois soldados israelenses, violou os direitos humanos ao disparar contra o norte de Israel foguetes cheios de esferas metálicas, o que amplia as mortes de civis.

As violações de ambas as partes deixaram muitos mortos e feridos, provocaram ampla destruição e fizeram milhares de pessoas fugirem de suas casas, afirma o relatório de 40 páginas a ser apresentado ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

"A missão conclui que sérias violações dos direitos humanos e do direito humanitário foram cometidas por Israel", disseram os quatro enviados depois de visitar Israel e Líbano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Em muitas ocasiões, o Hezbollah violou os princípios aplicáveis do direito humanitário, em alguns casos atacando população civis no norte de Israel, e em outros desrespeitando o princípio da distinção (entre civis e militares)".

O investigador especial da ONU para execuções arbitrárias, Philip Alston; o investigador especial para o direito à saúde, Paul Hunt; o representante especial do secretário-geral para populações deslocadas, Walter Kaelin; e o relator para habitação, Miloon Kothari, fizeram a visita neste mês, por iniciativa própria.

Vários grupos de direitos humanos, inclusive a Anistia Internacional, já acusaram ambos os lados do conflito libanês de crimes de guerra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A missão dos quatro enviados foi paralela à comissão de inquérito criada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU, que atualmente está na região.

O relatório pediu a Israel plenos detalhes de onde suas forças deixaram munições de fragmentação, para acelerar a destruição de explosivos ativos e minimizar as vítimas civis.

A informação dada até agora foi "inadequada e em geral de nenhuma ajuda", afirma o texto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já o Hezbollah, segundo eles, deve reconhecer sua obediência ao direito internacional e renunciar a ataques contra civis.

A guerra matou cerca de 1.200 libaneses, a maioria civis, e 157 israelenses, a maioria soldados. O Hezbollah disparou quase 4 mil foguetes contra o norte de Israel, que por sua vez invadiu o sul do Líbano e bombardeou duramente Beirute e aldeias do sul do país.

O relatório admite que Israel tentou verificar os alvos em respeito ao direito internacional, mas diz ser inaceitável o conceito de que qualquer um no Líbano poderia ser um objetivo militar legítimo.

Mas também ficou claro que o Hezbollah fez uso de casas e "outros locais civis" para ocultar atividades militares.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ministro das Cidades, this site Márcio Fortes, discount visitou hoje o município de Laranjal do Jari (AP), a 212 quilômetros da capital, Macapá. Ele prometeu ajuda do governo federal para a cidade, atingida ontem à tarde por um incêndio supostamente causado por um botijão de gás deixou desabrigadas pelo menos 450 famílias que vivem em palafitas.

A explosão, aparentemente acidental, ocorreu em uma fábrica de castanhas por volta das 14h de ontem. O fogo se alastrou e atingiu 300 casas populares e estabelecimentos comerciais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Somente duas horas e meia depois que as chamas se iniciaram, o fogo foi controlado pelos bombeiros, com a ajuda da Defesa Civil, da Guarda Municipal e de voluntários. Ao todo, 200 pessoas estiveram envolvidas na contenção do fogo.

O governador reeleito do Amapá, Waldez Góes (PDT), também acompanhou o ministro nas visitas. Segundo ele, a proximidade das casas de palafitas contribuiu para o alastramento das chamas. O município é o terceiro maior do estado, com 37 mil habitantes.

Somente nos próximos dias, sairá o laudo da Defesa Civil com as causas do acidente. O órgão, no entanto, confirma o vazamento de gás como causador da explosão.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou dois médicos e dois hospitais de Viçosa (MG) a pagar R$ 105 mil a uma dona de casa cujo marido morreu por negligência.

A sentença foi da 11ª Câmara Cível, this site que entendeu que o paciente não foi tratado corretamente. Além da indenização, viagra 40mg a mulher receberá pensão mensal até a data em que o marido faria 65 anos.

Depois de levar um golpe de canivete no crânio em uma briga de bar, find em 30 de junho de 2002, o marido foi dispensado do primeiro hospital, onde foi feita apenas uma radiografia e a sutura do corte. Com dores de cabeça e vômitos, o homem foi levado para outro hospital, sendo liberado depois de tomar um analgésico e um antiinflamatório.

Somente quando o marido voltou horas depois, com paralisia num dos lados do corpo e confusão mental, ele foi levado para a segunda radiografia. Meia hora depois, ele faleceu.

O presidente da Venezuela, about it Hugo Chávez, confessou hoje que tinha esperanças de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conquistasse a reeleição no primeiro turno das eleições presidenciais no Brasil.

Lula foi o candidato a presidente mais votado no domingo, mas não conseguiu encerrar a disputa no primeiro turno e agora disputará com Geraldo Alckmin (PSDB) a Presidência no dia 29.

"Parabenizamos o nosso amigo, o companheiro presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele ganhou o primeiro turno das eleições, apesar de que tínhamos esperanças de que vencesse já no primeiro turno", disse Chávez durante a inauguração de um centro de estudos.

Ontem, dia seguinte ao primeiro turno da eleição, Lula, a quem Chávez se refere como um amigo, afirmou que lhe faltaram votos para encerrar a corrida presidencial na primeira rodada de votação.

O segundo turno das eleições presidenciais dividiu o PMDB do Rio de Janeiro. Enquanto o candidato a governador Sérgio Cabral declarou hoje o apoio a Lula, sildenafil a atual governadora Rosinha Matheus e o marido, viagra 60mg o ex-governador Anthony Garotinho, ficaram com o tucano Geraldo Alckmin.

O anúncio do casal Garotinho foi feito hoje em São Paulo, na presença do coordenador da campanha de Alckmin no Rio, o peemedebista Moreira Franco. A divisão entre os peemedebistas também se reflete no plano nacional e confirmará a tendência do PMDB como o principal alvo dos presidenciáveis no segundo turno.

Dono da maior bancada eleita para a Câmara dos Deputados, o PMDB continua dividido entre Lula e Alckmin, como há quatro anos. A ala oposicionista, liderada pelo presidente do partido, Michel Temer (SP), apoiará o tucano no segundo turno. Já a ala ligada aos senadores Renan Calheiros (AL) e José Sarney (AP) continuará com o petista.

O ministro da Fazenda, store Guido Mantega, drugs descartou hoje nova reforma previdenciária em caso de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele também defendeu a aplicação de um redutor dos gastos correntes a partir de 2007. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem previa redução das despesas correntes equivalente a 0,1 ponto percentual do PIB. Segundo Mantega, essa regra não foi aplicada porque a LDO sequer foi aprovada pelo Congresso.

Ao falar a jornalistas na portaria do ministério, Mantega defendeu um redutor dos gastos correntes entre 0,1 e 0,2 ponto percentual do PIB, se possível já em 2007, e disse que há consenso no governo sobre o tema. "Isso você vai transferir para redução de tributos", afirmou.

Mantega comentou ainda que a reforma prioritária em um eventual segundo mandato de Lula, no campo econômico, será na área tributária, para simplificar a estrutura de impostos.

Segundo o ministro, a reforma tributária implementada no governo Lula só não foi mais abrangente porque houve "algumas resistências". Ele citou nominalmente o candidato da oposição à Presidência, Geraldo Alckmin (PSDB), quando era governador de São Paulo.

Mantega minimizou as chances de novas medidas econômicas antes do segundo turno das eleições, em 29 de outubro.

"As mudanças na política econômica são essas que já foram anunciadas", disse, mencionando a reforma na legislação cambial e os pacotes para o setor imobiliário e com intuito de permitir a redução do spread bancário.

Questionado sobre a boa receptividade do mercado financeiro ao segundo turno entre Lula e Alckmin, Mantega respondeu: "Talvez o mercado goste mais de Alckmin e o povo mais de Lula".

O ministro considera que a composição do Congresso ficou mais favorável para a governabilidade do PT caso Lula seja reeleito, principalmente na Câmara dos Deputados.






Você pode gostar