Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Fintechs avançam em bate-boca com Febraban

No domingo (19), voltou às redes sociais afirmando que o Nubank cobra juros mais altos do que a média dos grandes bancos brasileiros

Por FolhaPress 21/09/2021 12h42

A Zetta, associação que representa empresas de tecnologia como Nubank e Mercado Pago, resolveu responder as recentes investidas da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos). Na quinta (16), a entidade que representa os grandes bancos disse ao jornal Folha de S.Paulo que o Mercado Pago tem vantagem concorrencial tributária e faz cortesia com chapéu alheio. No domingo (19), voltou às redes sociais afirmando que o Nubank cobra juros mais altos do que a média dos grandes bancos brasileiros.

A Zetta reage nesta terça (21): diz que a Febraban tenta confundir a opinião pública sobre a concorrência no setor de serviços financeiros. Também afirma que a federação dos bancos evita a discussão sobre o aumento das tarifas bancárias acima da inflação, conforme um estudo do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor). “A assimetria regulatória favorece os bancos tradicionais com vantagens competitivas e econômicas, e não as fintechs, que têm maiores exigências financeiras e mais requisitos legais”, afirma a Zetta.

A entidade fez uma lista com sete diferenças entre as fintechs e as instituições financeiras tradicionais, e rebate a Febraban dizendo que as taxas de juros das empresas de tecnologia são menores que as dos bancos. A disputa que esquentou nesta semana teve um episódio curioso na semana passada, quando o Mercado Pago levou uma pessoa vestida de dinossauro para a porta de agências bancárias em São Paulo em uma campanha de marketing que irritou os bancos.








Você pode gostar