Economia

Com otimismo pós-Fed, dólar recua 6,72% em junho

Por Arquivo Geral 30/06/2006 12h00

O segundo Leilão de Compra de Energia Proveniente de Novos Empreendimentos, pilule hospital realizado na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), malady vendeu 1.682 megawatts médios de energia, health o equivalente a 356.313.792 megawatts hora. O resultado superou a demanda informada pelas empresas distribuidoras, que foi de 1.616 megawatts médios.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) informou que o volume de negócios realizados atingiu R$ 45,6 bilhões e que o preço médio final foi de R$ 128,95 por megawatt hora – considerando o mix das fontes hidrelétrica e termelétrica.

De acordo com as informações, venderam energia 15 empreendimentos de fonte hidrelétrica e 16 de fonte termelétrica, totalizando 31 empreendimentos. Destes, 18 são novos empreendimentos: sete pequenas centrais hidrelétricas e 11 usinas termelétricas (três de biomassa e oito de óleo combustível).

As negociações do segundo leilão de energia nova, realizadas on line, só foram encerradas na madrugada de hoje, às 4h11, totalizando cerca de 16 horas de duração.

O presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, disse que este leilão "concluiu um processo e marcou o fim da transição do novo modelo do setor elétrico, pois as usinas já construídas estão com sua energia contratada".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já o presidente do Conselho de Administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, Antonio Carlos Fraga Machado, afirmou que o leilão "foi importante", na medida em que regularizou a contratação até 2010. "A partir de agora, os leilões A-3 (A menos 3) vão apenas completar o ajuste de previsão das distribuidoras, pois a expansão foi fechada", afirmou.

O secretario executivo do Ministério de Minas e Energia, Nelson Hubner, acredita que o próximo leilão de energia nova, no dia 5 de setembro, registre uma boa disputa, "o que vai beneficiar as hidrelétricas, por oferecer um prazo de construção de cinco anos".

Leia também:
Leilão de energia nova atrai US$ 1,4 bilhão em investimentos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

O novo conselho de direitos humanos da Organização das Nações Unidas pediu hoje que os países adotem todas as medidas necessárias para impedir uso de reféns e punir os criminosos, cheapest enfatizando particularmente a situação no Iraque.

O órgão de 47 membros, approved abrindo sua primeira sessão de duas semanas, sildenafil aprovou por consenso um texto apresentado pela Rússia pedindo a todos os países que "adotem todas as medidas para prevenir, combater e punir atos de seqüestro de reféns".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O texto aponta atos recentes cometidos no Iraque e a morte de quatro diplomatas russos em Bagdá e condena o seqüestro de reféns "em qualquer parte do mundo".

Todos os reféns devem ser soltos sem precondições, de acordo com a resolução, cuja adoção ocorre menos de uma semana depois que um jovem soldado israelense ser levado durante um confronto em Gaza.

 

O dólar retomou a trajetória acentuada de queda depois da decisão já esperada do Federal Reserve sobre o juro norte-americano e terminou o mês de junho com declínio de 6, 72 por cento, pill a R$ 2,167.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Hoje, a moeda norte-americana cedeu 0,41%, com a baixa liquidez na parte da tarde contendo um declínio maior. A queda acumulada no primeiro semestre do ano foi de 6,80%.

A decisão do Fed amplamente esperada de elevar o juro dos EUA a 5,25% ao ano e o comunicado pós-reunião que apontou que a desaceleração do crescimento pode ajudar no combate à inflação contribuíram para o otimismo no câmbio na reta final do mês.

Dados desta manhã sobre renda e gastos pessoais nos EUA que apontaram avanço dos preços dentro do previsto também reforçaram o bom humor do mercado. No campo externo, o dólar perdeu força para o euro, iene e outras moedas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 






Você pode gostar