Concursos & Carreiras

Inclusão: programa de estágio da TIM tem 60% de pessoas negras entre as selecionadas

A operadora contratou 159 novos estudantes e, deste total, 64,8% se autodeclaram pretas ou pardas

Em um processo seletivo 100% online, a TIM preencheu mais da metade de seu novo programa de estágio com pessoas negras. A operadora contratou 159 novos estudantes e, deste total, 64,8% se autodeclaram pretas ou pardas.

O programa foi lançado no fim de outubro e atraiu quase 12 mil inscrições. Maria Antonietta Russo, VP de Recursos Humanos da TIM Brasil, destaca que houve uma forte presença da população negra e a alta representatividade de outros grupos socialmente minorizados entre os inscritos, o que revela o tamanho da demanda por oportunidades de trabalho em um ambiente pautado pelo respeito à diversidade.

“Essa constatação não apenas confirma o quão acertada tem sido a política de diversidade e o compromisso da TIM com o tema, como reforça a importância e a necessidade da implementação de políticas inclusivas nos mais variados segmentos da economia”, comenta.

Entre os objetivos da TIM, estava também a contratação de pessoas de diferentes faixas etárias, com um olhar mais atento para estudantes com idades mais avançadas, grupo usualmente preterido em seleções de estágio. Apesar do número ainda não ser expressivo, a operadora conseguiu contratar oito pessoas acima de 33 anos – pouco mais de 6% das inscrições eram de estudantes com 28 anos ou mais. O pilar gênero seguiu equilibrado, com presença de 48,7% de mulheres no total de vagas.

O processo seletivo totalmente virtual incluiu 97 dinâmicas de grupo, 89 painéis de negócios e 786 entrevistas individuais. A efetivação dos contratos e treinamentos de boas-vindas também foram realizados por meio de ferramentas digitais. Pela primeira vez na história da companhia, um grupo de estagiários(as) inicia suas atividades em home office, modelo adotado pela TIM há quase um ano por conta da pandemia da Covid-19.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É um novo conceito de gestão de tempo, flexibilização, respeito e comunicação, onde a confiança, a autonomia e a responsabilidade se destacam ainda mais. Acredito que será uma experiência importante tanto para os estudantes que estão iniciando sua vida profissional quanto para os líderes e os tutores que irão se desafiar com um novo estilo de interação e mentoria”, ressalta Maria Antonietta.

Além das mudanças nos critérios de seleção e do modelo de recrutamento 100% digital, toda a jornada do estagiário no programa foi revisitada para acelerar o processo de desenvolvimento e gerar mais oportunidades de carreira aos estagiários. O plano de formação traz uma nova trilha de conhecimentos técnicos, comportamentais, new capabilities e temas relacionados ao business e estratégia da TIM, além de ações de troca de experiência como shadow para vivência em outra área de interesse e job rotation, que permite a mudança da área de trabalho após o primeiro ano de estágio. Uma nova e customizada avaliação de performance também foi desenhada para o programa, garantindo assim mais assertividade no processo de acompanhamento e desenvolvimento dos estagiários.

As premissas para efetivação também evoluíram e, a partir de 12 meses de estágio já será possível a contratação na área de atuação ou em outros setores da companhia. Aqueles que estiverem nos últimos seis meses do período de estágio, que dura no máximo 24 meses, serão mapeados prioritariamente para ocuparem possíveis vagas disponíveis. Os(as) contratados(as) vão assumir posições de estágio em seis estados onde a operadora atua (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Pará, Pernambuco e Paraná) e no Distrito Federal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar