Brasil

Polícia encontra vestígios de chumbo em calça de Carla Cepollina

Por Arquivo Geral 28/09/2006 12h00

Indiciada ontem pelo assassinato do coronel da reserva da PM e deputado estadual por São Paulo Ubiratan Guimarães, health buy morto no último dia 9, a advogada Carla Cepollina, 40 anos, tem mais um indício contra ela. Peritos do Instituto de Criminalística encontraram partículas de chumbo na calça que Carla, namorada e última pessoa a ser vista com Ubiratan, entregou à polícia.

Apesar de esses resíduos normalmente se impregnarem pelo uso de armas de fogo, os peritos ressaltaram que ainda não é possível considerar a presença do metal uma prova contra Carla. De acordo com os investigadores, os fragmentos podem ter parado na roupa de outras formas.

A polícia tenta ainda desvendar a possível presença de manchas de sangue em algumas roupas da advogada. Em depoimento na semana passada, uma empregada de Carla afirmou ter lavado peças com manchas vermelhas. No entanto, Carla alegou que a sujeira era molho de tomate. Após a vistoria no apartamento da advogada, na noite da última segunda, dezenas de peças foram levadas para análise.

A conclusão do inquérito só ocorrerá nos próximos dias. A polícia encaminhará ao Ministério Público a acusação de homicídio duplamente qualificado – por motivo fútil (ciúme) e sem oferecer defesa à vítima (Ubiratan estava desarmado). O promotor que acompanha o caso, Luiz Fernando Vaggione, afirmou ontem que a denunciará à Justiça.

Comandante do Massacre do Carandiru, no qual 111 presos foram mortos em outubro de 1992, Ubiratan morreu com um tiro no abdômen na noite do último dia 9, no próprio apartamento. O corpo só foi encontrado na noite seguinte, enrolado em uma toalha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar