Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Polícia Civil do Rio combate rede de agiotas espalhada pelo Brasil

Grupo chegava a cobrar juros de 30% ao mês. São cumpridos 65 mandados de prisão nesta quinta-feira

Foto: Reprodução/TV

A Polícia Civil do Rio de Janeiro realiza nesta quinta-feira (16) uma operação contra um grupo de agiotas do estado que se espalhou pelo Brasil. Estima-se que o bando possua 70 escritórios nos estados do Rio, Minas Gerais, Ceará, Santa Catarina e Espírito Santo.

A ação foi batizada de Operação Ábaco. Agentes cumprirão 65 mandados de prisão e 63 de busca e apreensão.

Segundo as investigações, o grupo faturou R$ 70 milhões mesmo em meio à pandemia. Com juros que chegavam até 30% ao mês, os criminosos cobravam empréstimos que jamais tinham sido feitos ou continuavam exigindo mais dinheiro mesmo depois que a dívida era paga.

“Grandes escritórios de agiotagem do Rio terceirizaram o serviço, passando a parte da cobrança, da extorsão, para um grupo especializado”, afirma a Pcerj. “Esse grupo atuava em todo o RJ e tornava a vida das pessoas que pegaram dinheiro emprestado um verdadeiro terror”, complementa.

Os membros do grupo trocavam de celulares e de escritórios com frequência para despistarem fiscalizadores. Os suspeitos vão responder por extorsão, organização criminosa, lavagem de dinheiro e crime contra a economia popular.








Você pode gostar