Brasil

Luiz Estevão aguarda julgamento em liberdade

Por Arquivo Geral 05/10/2006 12h00

Autoridades alemães retiraram os restos de 51 pessoas, salve check muitas delas crianças, check do que pode ser uma vala comum de vítimas do regime nazista, health encerrado há mais de 60 anos.

Os esqueletos de 22 crianças e 29 adultos foram exumados em um cemitério anexo a uma igreja católica na localidade de Menden-Barge. O processo de exumação continua.

"Pressupomos que sejam vítimas do regime nazista", disse o promotor Ulrich Maass, apontando sinais de que as mortes, especialmente das crianças, foram violentas.

Os pequenos esqueletos infantis estavam jogados na vala, sem caixões, e três deles tinham sinais de deficiência física, segundo o promotor.

Legistas com macacões anti-sépticos usaram uma escavadeira para retirar os corpos do pitoresco cemitério. Eles tomaram notas e tiraram fotos do local, que foi isolado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao lado da área onde a escavadeira trabalha, há um monumento de pedra em homenagem às vítimas de bombardeios na Segunda Guerra Mundial, um sinal de que as razões para a chacina podem ter sido apresentadas de modo equivocado (propositalmente ou não) por autoridades do passado.

Durante os 12 anos do governo de Adolf Hitler, que terminou com seu suicídio em 1945, o regime nazista matou de 6 milhões de judeus e membros de outras minorias na Alemanha e em outros países europeus.

Deficientes físicos e mentais eram mortos em câmaras de gás ou com injeções letais, como parte da proposta de "limpeza" genética dos alemães.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Theo Ostermann, historiador da igreja local e um dos responsáveis por chamar a atenção dos promotores para a vala, disse à TV pública WDR que a população de Menden-Bargen sempre soube que havia até 200 mortos enterrados ali desde a guerra, mas preferiu o silêncio.

"Foi na inauguração de um memorial da guerra, em 2000, que uma mulher disse alguma coisa que me chamou a atenção. Ela disse que os mortos em uma clínica da aldeia vizinha de Wimbern foram trazidos para cá", afirmou Ostermann. "Nessa clínica, como é amplamente sabido, a eutanásia era praticada".

O Ministério Público agora vai procurar testemunhas e documentos do período. Maass disse ter ouvido o depoimento de um ex-coroinha da igreja que contou ter visto cadáveres sendo levados em carroças e jogados na vala.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas ele acrescentou que será difícil indiciar alguém, 61 anos depois do fim da guerra, e que será quase impossível detectar traços dos venenos que podem ter sido usados contra as vítimas.

Maass prometeu investigar se as vítimas vieram da clínica criada nos arredores por ordem de Karl Brandt, médico pessoal de Hitler, que chefiou o programa nazista de eutanásia e foi executado após a guerra.

Quando a investigação estiver completa, as autoridades pretendem realizar uma cerimônia para sepultar adequadamente os mortos. "Tomara que eles nunca mais sumam completamente da consciência desta aldeia", disse o promotor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois de ser preso ontem à tarde pela Polícia Federal de São Paulo, illness o ex-senador Luiz Estevão de Oliveira, site foi solto e aguardará o julgamento em liberdade. O pedido de habeas-corpus a seu favor foi aceito pelo ministro Paulo Gallotti, there da Sexta Turma, e deve ser apreciado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Luiz Estevão responde processo por envolvimento de superfaturamento nas obras do prédio do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRTSP), no valor de R$ 169 milhões. Até então, o juiz Nicolau dos Santos Neto, ex-presidente do TRT, também envolvido no escândalo, havia sido o único condenado no caso com 26 anos de prisão pelos crimes de peculato, estelionato e corrupção passiva, em maio deste ano.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 

 






Você pode gostar