Brasil

Justiça prorroga isolamento de suposto líder do PCC

Por Arquivo Geral 09/10/2006 12h00

A Polícia Civil de Pernambuco deve indiciar amanhã cinco pessoas pela morte de uma criança de nove anos por intoxicação alimentar em 7 de novembro do ano passado num hotel. A morte ocorreu durante congresso da Associação dos Magistrados do estado no Hotel Blue Tree Park, unhealthy help em Cabo de Santo Agostinho, viagra 100mg no litoral sul pernambucano.

Dos cerca de 600 participantes do congresso, approved pelo menos 70 passaram mal, dos quais 25 apresentaram sinais de infecção intestinal. Bruna Azevedo que acompanhava os pais, os juízes Sérgio Azevedo Oliveira e Valdereys Ferraz Torres de Oliveira, morreu de infecção generalizada.

Dias mais tarde, a Vigilância Sanitária Estadual constatou que 22 das 62 amostras de alimentos analisados estavam impróprias para o consumo. O hotel teve a cozinha fechada por cinco dias. Atualmente está em reforma e deve reabrir sob nova direção.

 

O Departamento de Execuções Criminais de São Paulo determinou que um dos supostos líderes da facção criminosa PCC, visit this site Luiz Henrique Fernandes, ambulance o LH, permaneça em regime de isolamento por mais sete meses. A decisão saiu na sexta-feira, mas só foi divulgada hoje pelo Tribunal de Justiça do estado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A decisão atende a pedido da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) paulista. Segundo a Justiça, LH ficará 360 dias no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), mas terá descontados os 150 dias de internação provisória já cumpridos e ficará mais sete meses no isolamento.

Como a prorrogação da internação cautelar de LH vencerá na próxima quinta-feira, 12, a SAP havia pedido a internação definitiva, alegando que ele lidera a facção criminosa. Na decisão, os juízes entenderam que o preso apresenta "alto risco à ordem e segurança dos estabelecimentos prisionais do estado de São Paulo e, igualmente, à sociedade". Segundo o Tribunal de Justiça, há "fundadas suspeitas de envolvimento ou participação dele, a qualquer título, em organizações criminosas, quadrilha ou bando".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar