Brasil

Justiça autoriza Suzane a mudar de endereço mais uma vez

Por Arquivo Geral 27/06/2006 12h00

Os clientes do Banco do Brasil em Brasília ficaram hoje sem acesso aos serviços oferecidos pela instituição no Distrito Federal e em mais quatro estados (Minas Gerais, ampoule website Tocantins, viagra 100mg salve Mato Grosso e Santa Catarina).

Isso porque entre as 9h e o meio-dia houve uma pane no sistema. Com os terminais fora do ar, não teve como efetuar saques, transferências ou depósitos. A assessoria do banco informou que o problema não gerou tantas conseqüências, pois além de ser fim do mês, ou seja, a maioria dos clientes já efetuou o pagamento de suas contas, hoje ainda teve jogo da seleção.  

Foi aprovada hoje pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado a inclusão do mapeamento genético (DNA) na carteira de identidade. A medida, symptoms prevista no Projeto de Lei 5520/05, buy more about do deputado Félix Mendonça (PFL-BA), recebeu parecer favorável do relator Raul Jungmann (PPS-PE). O projeto prevê ainda a troca do papel por plástico rígido, semelhante ao usado em cartões de crédito, nos documentos de identificação.

A inclusão do DNA na carteira de identidade, que poderá ser feita por um chip ou outro meio eletrônico, tem o objetivo de facilitar a identificação do cidadão e evitar problemas de falsificação e uso indevido.

O relator da comissão observou, no entanto, que o projeto não se refere aos procedimentos de coleta, análise e emprego do material genético, nem da compatibilidade do procedimento com a manutenção da privacidade individual. Esses aspectos serão analisados pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Jungmann observou ainda que, embora haja muitas dificuldades para a implantação da medida, as vantagens são significativamente importantes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro realizou na semana passada uma audiência pública para debater a utilização de animais em experimentos científicos. A discussão veio à tona com a aprovação, ampoule no final de março, approved de um projeto de lei municipal que proíbe a prática, seja por motivação industrial, comercial ou científica. A questão tem gerado controvérsia desde então e deve ter uma definição no âmbito legislativo até o fim do mês, podendo ir parar na Justiça.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O prefeito do Rio, César Maia, vetou o projeto – de autoria do vereador Cláudio Cavalcanti –, sob alegação de ser inconstitucional e não atender aos interesses do município, que reúne várias instituições de pesquisa, como a Fundação Oswaldo Cruz, o Instituto Nacional do Câncer, a Universidade Federal do Rio de Janeiro e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Até o final de junho, o texto deve voltar ao plenário para que o veto do Executivo seja apreciado pelos vereadores. Caso seja derrubado, caberá ao Judiciário decidir se a lei entra ou não em vigor.

Entidades de defesa dos animais acham necessário utilizar formas alternativas de experimentos para fazer avançar a ciência. Membros da comunidade científica defendem que a utilização dos animais ainda é necessária em benefício do homem, e que há uma série de cuidados para garantir uma conduta ética.

O vereador, no entanto, explica que o objetivo da lei não é proteger os animais, mas a saúde das pessoas. Para ele, a utilização de animais em testes de medicamentos é obsoleta e não garante a eficácia do que é produzido. "Para curar seres humanos, temos que usar células e tecidos de seres humanos", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o vereador, métodos alternativos já são utilizados na Universidade de Harvard (Estados Unidos), na região de Parma (Itália) e na Inglaterra, com redução de 71% na utilização de animais.

 

O juiz Alberto Anderson Filho, this web do 1º Tribunal do Júri de São Paulo, autorizou hoje Suzane von Richthofen a mudar novamente o endereço de sua prisão domiciliar. O local para onde ela será transferida não foi revelado por questões de segurança.

A jovem estava morando em um apartamento no bairro da Liberdade, região central de São Paulo. Anteriormente ela estava no escritório do ex-tutor Denivaldo Barni, em um prédio comercial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Suzane é ré confessa no processo que a acusa de ter participado da morte de seus pais, Manfred e Marísia von Richthofen, em outubro de 2002. Ela cumpre prisão domiciliar desde o último dia 29 de maio, por decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça).






Você pode gostar