Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Inscrições para o Enem 2022 terminam neste sábado (21)

Ribeiro acabou pedindo demissão após áudio revelado pela Folha apresentar indícios de um suposto esquema informal de obtenção de verbas

Por FolhaPress 20/05/2022 7h03
Estudantes chegam para o primeiro dia de prova do Enem 2021.

As inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2022 terminarão às 23h59 deste sábado (21).

A taxa, que custa R$ 85, deverá ser paga até o dia 27 de maio. Quem ainda não se inscreveu basta acessar a página do participante.

As provas, nas versões impressa e digital, serão aplicadas em todos os estados brasileiros, nos dias 13 e 20 de novembro.

Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pelo exame, pela primeira vez o valor da inscrição poderá ser pago por PIX e cartão de crédito.

No caso de PIX, o candidato deve realizar, obrigatoriamente, a operação financeira por meio de QR code ou código gerado na página do participante.

Para a segunda opção, haverá cobrança de taxa administrativa no valor de R$ 2,54.

O pagamento também poderá ser feito por meio do tradicional boleto, gerado na página do participante e pago pelos não isentos em bancos, casas lotéricas, aplicativos bancários ou agência dos Correios.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No ato da inscrição, o estudante precisa escolher o idioma, inglês ou espanhol, que prefere responder às questões de língua estrangeira.

No primeiro dia da prova, 13 de novembro, os candidatos responderão a 45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e cinco de inglês ou espanhol), a 45 de ciências humanas, além de fazer a redação.

No segundo dia, 20 de novembro, serão respondidas a 45 questões de matemática e a 45 de ciências da natureza.

Quem se identifica e quer ser reconhecido socialmente pela sua identidade de gênero e já tem o respectivo nome cadastrado na Receita Federal será identificado pelo nome social no momento da inscrição, mas será necessário confirmá-lo na página do participante, entre os dias 23 e 28 de junho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quem não tiver o nome social cadastrado na Receita deverá realizar a solicitação de tratamento após a inscrição, no período de 23 a 28 de junho, pela página do participante. O procedimento exige a apresentação de foto atual, nítida, individual, colorida, com fundo branco que enquadre desde a cabeça até os ombros, de rosto inteiro, sem uso de óculos escuros e artigos de chapelaria (boné, chapéu, viseira, gorro ou similares); e cópia digitalizada, frente e verso, de um dos documentos de identificação oficiais com foto, válido. Documentos enviados fora do prazo ou externos à página do participante não serão aceitos. Toda a documentação deverá ser anexada e enviada em formato PDF, PNG ou JPG, com tamanho máximo de 2 MB.

O Enem de 2021, que aconteceu no fim de novembro, foi precedido por uma crise no Inep. Faltando menos de 20 dias para a prova, servidores deixaram os cargos e denunciaram o então presidente do instituto, Danilo Dupas Ribeiro, por assédio moral.

Os funcionários que se demitiram eram os coordenadores de Logística da Aplicação e o de Exames para Certificação. Ao todo, 35 servidores deixaram os cargos antes da realização da prova, alegando terem sido constrangidos a participar de ações das quais discordavam, segundo a Assinep (Associação de Servidores do Inep).

O Enem 2021 teve o menor número de participantes em 17 anos. A taxa de abstenção geral foi de 29,9%, o que representa cerca de 930 mil candidatos, deixando a edição com pouco mais de 2,1 milhão de participantes. Além da abstenção da prova digital, a prova impressa registrou ausência de 29,5% dos candidatos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O então ministro da Educação Milton Ribeiro classificou o exame como um sucesso.

Ribeiro acabou pedindo demissão após áudio revelado pela Folha apresentar indícios de um suposto esquema informal de obtenção de verbas envolvendo pastores sem cargo público, incluindo pagamento de propina.

O esquema seria operado por pelo menos dois pastores ligados ao presidente Jair Bolsonaro, Gilmar Santos e Arilton Moura. As verbas da pasta eram priorizadas para gestores e prefeitos que fossem próximos de Santos e Moura e ligados ao centrão, respectivamente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar