Brasil

Índios da aldeia Potiguara mantém dois reféns na Paraíba

Por Arquivo Geral 20/06/2006 12h00

O presidente da Varig, more about buy Marcelo Bottini, cost mind informou hoje que fechou com a BR Distribuidora acordo para fornecimento de combustível à empresa até a próxima sexta-feira, data prevista também para o pagamento da primeira parcela de compra da companhia.

Segundo Bottini, a decisão do juiz Robert Drain, da Justiça de Nova York, determinará o cenário das operações da Varig nos próximos dias. O executivo informou que está confiante com uma decisão favorável à empresa por parte de Drain, que pode determinar o arresto de aviões da companhia amanhã.

"O juiz (Drain) tem acompanhado as decisões do juiz brasileiro, por isso estamos confiantes com uma decisão positiva", disse Bottini na 1a Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, onde veio se encontrar com o juiz Luiz Roberto Ayoub, que aprovou a venda da Varig para o grupo NV Participações por R$ 1 bilhão.

Leia também:
Varig tem 53 vôos cancelados na manhã de hoje 
Infraero vai propor cobrança diária à Varig a partir de julho
Coordenador da TGV anuncia plano de contingência para "não deixar a Varig parar" 
Nova diretoria da Varig deve tomar posse hoje 

A polícia britânica disse hoje que prendeu quatro homens como parte de uma investigação relativa a terrorismo internacional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a polícia, ed um homem de 29 anos e dois jovens de 21 anos foram detidos em Londres, capsule ontem à noite, capsule e um homem de 28 anos, hoje, também na capital.

Todos foram presos sob a Lei Antiterrorismo, suspeitos de execução, preparação ou instigação de atos de terrorismo, disse a polícia em um comunicado.

Fontes policiais disseram que as detenções estavam ligadas à prisão, no começo do mês, de um homem de 21 anos, no aeroporto de Manchester, e de um jovem de 16 anos, em Yorkshire, no norte da Inglaterra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eles compareceram perante magistrados em Londres, na semana passada, e foram acusados de violações da legislação sobre terrorismo.
O governo de esquerda boliviano anunciou formalmente hoje que o Estado vai retomar o controle de seis empresas dos setores de telecomunicações, cialis 40mg eletricidade e ferroviário, que foram privatizadas na década de 1990.

O ministro de Planejamento boliviano, Carlos Villegas, disse que o plano de reversão parcial das privatizações vai seguir o modelo aplicado nas petrolíferas.

As empresas que devem voltar ao controle estatal são as de telecomunicações Entel e Telecom Italia; as elétricas Corani, Guaracachi e Valle Hermoso, administradas pela norte-americana Duke e outros capitais norte-americanos e bolivianos; e as companhias ferroviárias Oriental e Andina, em mãos de chilenos e norte-americanos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Uma novidade tecnológica e “segregadora” chega ao mercado brasileiro nos próximos dias. A empresa Telemig Celular irá oferecer aos seus clientes um tipo de toque de celular que somente os mais jovens conseguem ouvir.

Batizado de zumbitone, malady ele se assemelha ao zumbido de mosquito e é percebido na faixa de 17-quilohertz. A explicação para apenas os jovens conseguirem ouvir o toque é que a partir dos 30 anos, a maioria dos adultos perde o campo de audição dessa faixa de som. 

O zumbitone estará disponível para download para todos os clientes da empresa que tenham aparelhos compatíveis com o tom real. O preço será a partir de R$ 2,72.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 

A petrolífera norte-americana Chevron anunciou hoje que encomendou plataforma com capacidade para 100 mil barris diários junto ao grupo holandês de engenharia marítima SBM Offshore NV. A plataforma será usada no projeto Frade no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Representantes da Chevron preferiram não divulgar o valor do acordo, more about sob o qual a SBM construirá uma plataforma de produção, sildenafil estoque e distribuição (FPSO). Mas eles disseram durante conferência com a imprensa que a Chevron e seus parceiros no projeto investirão US$ 1,2 bilhão na plataforma e em equipamentos submarinos e outras infra-estruturas.

O projeto, em águas profundas da Bacia de Campos, deve começar a produzir petróleo no final de 2008 ou início de 2009. Ele deve alcançar pico de produção de 90 mil bpd de petróleo em 2011.

A Comissão Mista de Orçamento deve votar, adiposity até o dia 30 deste mês, o relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A informação é do próprio senador. A comissão deve se reunir amanhã para discutir e, possivelmente, votar o relatório.

"Aprontamos o relatório desde o começo de junho. Portanto, agora estamos à disposição do debate. A idéia é decidirmos, junto com líderes, a data em que o relatório será votado, de preferência, até o dia 30 de junho", disse Jucá.

O parecer do relator foi lido no último dia 7, mas o PSDB pediu adiamento para analisar um adendo e uma errata apresentados ao texto pelo relator.

Uma das questões mais polêmicas, que podem adiar a votação do relatório ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias, é a previsão de recursos para a Lei Kandir, que prevê a isenção de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para os exportadores do setor primário e de semi-elaborados e define um ressarcimento aos estados – por parte do governo federal – para as perdas geradas pela não-arrecadação desse imposto.

Quanto a essa questão, Romero Jucá defende a criação de mecanismos que possam estabelecer, a médio e longo prazos, regras que sinalizem à classe produtora que haverá compensação das exportações. "Da forma como é hoje, é algo muito precário. Ano a ano, tem sido um problema aprovar a Lei Kandir. Ela, da forma como foi proposta, era uma lei provisória, que já deveria ter acabado há três anos, mas é importante que se leve em conta um novo mecanismo, já que o país quer priorizar as exportações", finalizou.

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), admitiu há pouco alterar o relatório para garantir sua aprovação na votação que deve ser realizada hoje. Os nomes do ex-ministro José Dirceu e do chefe de gabinete da Presidência da República Gilberto Carvalho seriam incluídos, como pretende a oposição.

"Para salvar o relatório, pode ser que isso aconteça", afirmou o relator, que alega ter deixado os dois de fora por falta de elementos suficientes para pedir os indiciamentos ao Ministério Público. Alves diz não acreditar que a CPI, cujo prazo legal expira no sábado (24), acabe sem a aprovação do relatório.

O presidente da comissão, senador Efraim Morais (PFL-PB), promete seguir rigorosamente o regimento na sessão de hoje. Se o relatório for aprovado, a CPI estará encerrada. Caso contrário, vai designar um senador para apreciar os relatórios apresentados em separado por Álvaro Dias (PSDB-PR) e Magno Malta (PL-ES).

Antes de ser iniciada a votação, o senador Tião Viana (PT-AC) admitiu a derrota do governo na CPI. Prevista para as 11h, a discussão do relatório só começou por volta das 16h.

A expectativa da base aliada era de que o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) não comparecesse à sessão, o que garantiria a vitória dos governistas. Mas ele está no plenário e deve deve votar com a oposição, o que resultaria num empate: sete a sete. O voto decisivo caberia ao presidente da CPI, Efraim Morais (PFL-PB), que já declarou ser favorável ao relatório de Garibaldi Alves (PMDB-RN).

Um grupo de índios Potiguara, web da Paraíba, fez 13 reféns durante uma fiscalização ambiental, e, após destruir um carro de reportagem da TV Cabo Branco, afiliada da Rede Globo, liberou 11 deles. Os outros dois reféns foram levados para a aldeia Jacaré de São Domingo, localizada entre os municípios de Rio Tinto e Marcação.

Policiais Civis e Militares foram enviados ao local, mas aguardam a chegada do representante da Funaipara iniciar as negociações de libertação dos reféns.

Os indígenas protestam contra a prisão de quatro membros da aldeia, que foram presos em flagrante cometendo crime ambiental. Segundo a Polícia Florestal da região, o grupo estava devastando plantações de Pau Brasil, e a madeira seria vendida para madeiras do Rio Grande do Norte.

O ato começou quando uma equipe de fiscalização, que estava sendo acompanhada pela equipe da TV, foi surpreendida pelo grupo indígena armados com facões, foices e até arma de fogo. O nome dos dois reféns foi mantido em sigilo.

 






Você pode gostar