Brasil

Horário de verão deste ano começará dia 5 de novembro

Por Arquivo Geral 04/10/2006 12h00

O presidente Vladimir Putin advertiu a Geórgia hoje que não faça provocações nem chantageie a Rússia, side effects site ao mesmo tempo em que ignorou os apelos internacionais para suspender as s anções contra o país vizinho.

"Não vou permitir que ninguém fale com a Rússia em termos provocadores e de chantagem", medicine  afirmou Putin a parlamentares sobre a crise diplomática com a Geórgia, pills que prendeu quatro oficiais russos e os acusou de espionagem.

Na Geórgia, o presidente do banco central afirmou que o país vai bloquear a candidatura da Rússia a entrar na Organização Mundial do Comércio (OMC) se as sanções econômicas não forem suspensas. A Rússia pretende concluir este mês as negociações para entrar na OMC.

A prisão dos oficiais russos, na semana passada, deflagrou uma série de medidas retaliatórias por parte da Rússia, como a interrupção de todas as ligações com a Geórgia, por terra, mar e ar, e da emissão de vistos para que georgianos possam ir à Rússia.
Há tempos que Moscou está insatisfeita com o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, devido a suas políticas pró-Ocidente e ao afastamento em relação aos russos.

"A atitude das autoridades georgianas nos últimos meses e anos é claramente anti-Rússia", afirmou o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, durante uma viagem a Estrasburgo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ministro da Defesa russo, Sergei Ivanov, rejeitou o apelo da Geórgia para que Moscou suspenda os exercícios navais no mar Negro. "Ninguém deve achar que vamos reagir a cada vez que o regime de Saakashvili der um espirro e mudar todos os nossos planos".
A polícia russa fez revistas em estabelecimentos georgianos de Moscou ontem, fechando por exemplo um cassino de proprietários georgianos. O Ministério do Interior afirmou que as revistas foram ações de rotina … para combater grupos étnicos de crime organizado.

Até a visita à Rússia do balé nacional da Geórgia foi cancelada. A Geórgia, por sua vez, manteve a pressão. "A Geórgia nunca vai apoiar a entrada da Rússia na OMC enquanto as sanções permanecerem", afirmou o presidente do banco central, Roman Gotsiridze.
Como membro da OMC, a Geórgia tecnicamente tem poder para bloquear novas admissões. A Rússia é a única grande economia que ainda não faz parte da organização.

Em Tbilisi, os georgianos estavam cada vez mais preocupados com o impacto das sanções. "A Rússia vai deportar georgianos?", perguntava a manchete da revista New Version. Os russos que estavam na Geórgia ficaram isolados com a interrupção dos vôos entre os dois países.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Moscou ainda tem algumas cartas na manga contra a Geórgia. Os russos ainda estão fornecendo gás natural para o país vizinho, e por enquanto prometem cumprir a promessa de retirar até o fim de 2008 as tropas que mantêm na Geórgia.

O presidente-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou hoje que a oposição o ataca no terreno da corrupção e da ética para evitar comparações econômicas, cialis 40mg sociais e administrativas entre seu governo e o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

"Nós queremos discutir profundamente ética, discutir corrupção. Acho que o povo brasileiro merecia uma discussão melhor, mas se quiserem enveredar por aí, nós vamos discutir e colocar na mesa as coisas que têm que ser ditas", disse Lula durante a parte aberta à imprensa do encontro que teve com governadores eleitos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Numa campanha em que as pessoas não têm argumento para debater sobre política econômica, política social e desenvolvimento (…) porque os números comparativos são mortais com relação aos oito anos deles, vão buscar outra coisa qualquer para fazer a disputa política", acrescentou.

O presidente fez uma avalia ção positiva sobre o resultado das urnas. "Acho que o quadro eleitoral foi bom para os partidos da base", realçando novamente as vitórias do PT contra os governos do PFL em Sergipe e na Bahia. "Nossos adversários saíram com menos força do que tinham antes, ficaram com os Estados que já tinham. Vamos às ruas, preparem-se", prometeu Lula.

O prefeito do Rio, information pills César Maia (PFL), anunciou hoje que deixará de participar ativamente da campanha do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, devido o apoio recebido pelo tucano do ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PMDB).

Maia disse que seu partido irá se concentrar, no Rio de Janeiro, apenas na campanha da deputada Denise Frossard (PPS), candidata ao governo estadual que disputa o segundo turno com o senador Sérgio Cabral (PMDB). Este, por sua vez, já declarou apoio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa pela Presidência.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"A campanha do governador Alckmin no Rio de Janeiro ficará centralizada, concentrada no PSDB, que vai se dedicar a essa campanha e recomendar o voto contra o senador Sérgio Cabral, e o PFL vai concentrar sua campanha na deputada Denise Frossard e vai recomendar o voto no governador Alckmin", disse Maia. "O Alckmin passeia com o Garotinho e nós andamos com a Denise Frossard. Nós queremos essas águas bem separadas", acrescentou.

Maia e Garotinho são rivais, disputando o comando político do Estado. Ontem Garotinho e sua mulher, a governadora Rosinha Matheus (PMDB), anunciaram apoio ao candidato do PSDB.

O último presidente da mais sangrenta ditadura argentina declarou hoje que o roubo dos bebês de dissidentes políticos, website like this crime pelo qual foram processados os principais líderes do regime, não passa de uma "fabricação".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Reynaldo Bignone, que governou em 1982 e 1983, afirmou ainda que apóia os grupos que querem resgatar a "memória completa" do período e que se lembram também das vítimas das guerrilhas que atuaram nos anos 1970.

"Não estou condenando nenhuma causa, fui processado há muitos anos por uma fabricação que se chama roubo de bebês e me processam por ter editado, como presidente, a lei de pacificação. Dizem que essa lei fazia parte do plano para roubar bebês", disse Bignone à Rádio 10.

"Por isso fiquei sete anos detido em minha casa. Mas já não estou mais. Se Deus quiser, no sábado completo um ano de liberdade", acrescentou.

As declarações devem acirrar ainda mais os ânimos no país sobre o passado militar. As últimas semanas registraram na Argentina a condenação de dois ex-repressores, em casos reabertos graças à anulação, em 2005, pela Corte Suprema, das leis de anistia, medida incentivada pelo presidente Néstor Kirchner.

Segundo denúncias de vários organismos, durante a ditadura cerca de 30 mil pessoas desapareceram nas mãos dos órgãos de repressão do governo militar (1976-1983).

Os sobreviventes contaram nos tribunais sobre os métodos de tortura que o regime utilizava e como os repressores roubavam os filhos das mulheres que davam à luz na prisão.

Muitos desses bebês foram entregues a familiares e a funcionários do governo e criados com uma identidade falsa.

O grupo Avós da Praça de Maio já conseguiu encontrar cerca de 90 filhos de desaparecidos, que nasceram durante o período em que as mães estavam presas ou que eram pequenos quando elas foram capturadas pelo regime.

Mas o clima político no país ficou ainda pior com o desaparecimento, há duas semanas, de uma testemunha-chave de um dos julgamentos de ex-repressores. Ao mesmo tempo, um grupo de organizações convocou para amanhã um ato para lembrar a luta contra a guerrilha esquerdista, que atuou na década de 1970.

O major Eduardo Camerini, treatment médico perito da Aeronáutica, afirmou há pouco que a necropsia dos dois corpos de vítimas do vôo 1907 da Gol que já chegaram ao IML de Brasília será terminada ainda hoje. Mesmo a perícia terminada hoje, o resultado demorará mais, pois há a necessidade de cruzar informações fornecidas pelos parentes das vítimas.

Durante a manhã e início da tarde, algumas vans da empresa aérea Gol levaram parentes do aeroporto ao IML. Os familiares trazem consigo fotos e radiografias das vítimas para comparação com os dados da percícia.

A expectativa é que mais corpos cheguem a Brasília ainda hoje. "Estamos esperando, pelo menos, outros 30 corpos", afirmou Camerini.

 

O governador reeleito de Roraima, more about Ottomar Pinto (PSDB), admitiu que o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSDB), é um "político controvertido", mas que todo apoio à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) é bem vindo. Ele ressaltou, no entanto, que isso não pode prejudicar outras alianças.

"Ninguém pode deixar de aceitar apoio. Política não se faz com anjo, arcanjo, querubim e serafim, se faz com todo mundo", disse o governador em São Paulo antes de um encontro com Alckmin.

Indagado se consideraria, então, Garotinho uma espécie de demônio, ele negou: "Não o classifico como demônio, pelo contrário, ele é evangélico. Mas é um político controvertido".

Sobre a decisão da deputada federal Denise Frossard (PPS), candidata ao governo do Rio, de retirar o apoio a Alckmin devido a sua aproximação com Garotinho, Ottomar disse acreditar que "as pessoas estão olhando muito para suas próprias vaidades". "A Denise Frossard é uma política brilhante e eu entendo que ela deveria ser mais tolerante com os fatos, verificar que existe um projeto de poder federal muito mais importante do que o poder do Rio de Janeiro", acrescentou.

Segundo o governador, as alianças políticas são uma questão de aritmética. "Claro que Frossard mais César Maia é maior que Garotinho e a gente tem que fazer a escolha melhor possível".

Alckmin deve receber à tarde o governador reeleito de Rondônia, Ivo Cassol (PPS).

Mais de 100 ex-líderes mundiais e políticos fizeram um apelo hoje para uma ação urgente que acabe com o conflito árabe-israelense, remedy alertando para o fato de o Oriente Médio estar diante de sua "pior crise em anos".

Numa declaração divulgada pelo International Crisis Group, patient um centro de estudos de Bruxelas, visit eles pediram a realização de uma conferência internacional para determinar os parâmetros de um acordo de paz abrangente e para preparar o terreno para negociações mais detalhadas.

Eles também pediram apoio para a formação do governo de unidade nacional nos territórios palestinos, onde as disputas internas levaram a uma onda de violência, além de para a retomada da assistência financeira à Autoridade Palestina e para a reedição das negociações entre líderes israelenses e palestinos.

"Todo mundo perde nesse conflito, com exceção dos extremistas do mundo inteiro, que prosperam no ódio que ele continua alimentando", afirmaram os 135 signatários, entre eles dezenas de ex-presidentes e ex-primeiros-ministros e sete Prêmios Nobel.

"Cada dia que passa mina mais ainda as perspectivas de uma solução pacífica e permanente", disse a declaração, assinada, entre outros, pelo ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter e pelo arcebispo sul-africano Desmond Tutu.

As negociações de paz entre Israel e os palestinos foram interrompidas em 2000, pouco antes do início do levante palestino.

A vitória do grupo extremista Hamas nas eleições de janeiro reduziu ainda mais as esperanças de paz. Entre junho e julho, militantes em Gaza e no Líbano seqüestraram três soldados israelenses, deflagrando uma ofensiva terrestre de Israel em Gaza e uma guerra israelense de 34 dias contra os militantes do Hezbollah no Líbano.

A declaração foi divulgada no mesmo momento em que a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, está viajando pelo Oriente Médio com o objetivo de reforçar a influência do presidente palestino Mahmoud Abbas, que vinha tentando formar um governo de unidade nacional que reunisse seu movimento, o Fatah, com o Hamas.

O texto do manifesto diz que os mediadores do quarteto, formado por EUA, Rússia, ONU e UE, também devem manter negociações com Israel, com a Síria e com o Líbano para discutir as bases de uma paz mais abrangente.

"Se quisermos resolver o conflito árabe-israelense, com todas as suas terríveis consequências, há a necessidade desesperada de novas idéias e da injeção de uma vontade política renovada", afirmou o documento.

A inflação na capital paulista acelerou menos que o esperado em setembro e levou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a considerar taxa inferior a 2% neste ano.

Maiores custos de carnes e o reajuste da tarifa de água e esgoto fizeram com que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe subisse 0, symptoms 25% no mês passado, shop ante 0,12% em agosto. A estimativa de economistas era de alta de 0,31% em setembro.

Paulo Picchetti, economista da Fipe, prevê para outubro uma taxa ligeiramente inferior, de 0,2%, com a continuidade do impacto de água e esgoto e a manutenção das pressões em alimentação e saúde.

Com essa estimativa, Picchetti acredita que em 2006 a inflação em São Paulo pode chegar a 1,6%.

Ele preferiu ainda não revisar oficialmente a projeção que tinha, de 2%, para acompanhar a movimentação dos preços internacionais do petróleo e se exigirão um reajuste dos combustíveis domésticos.

"Sem reajuste, certamente vai ficar em 1,6%. Para chegar em 2%, cada um dos últimos três meses do ano teria que ter uma inflação de 0,4% e em outubro já deve ficar abaixo disso, em 0,2%", disse.

No ano passado, a inflação acumulada pelo IPC-Fipe foi de 4,53%. A taxa prevista para este ano é a menor desde 1998, quando houve deflação.

Picchetti acrescentou que os dados favoráveis de inflação e os números de atividade não tão fortes como se esperava devem levar o Banco Central a cortar a taxa de juro em 0,5 ponto percentual neste mês. "A mensagem das últimas duas atas (do Copom) de maior parcimônia vai ter que ser engavetada".

A Fipe acrescentou que, em setembro, a maior pressão para a inflação veio dos preços do grupo Alimentação, que subiram 0,88%, ante avanço de 0,46% em agosto. Os custos das carnes bovinas aumentaram 4,71% e das aves, 12,41%.

Na lista das cinco maiores altas, quatro vieram de alimentos: frango, tomate, acém e coxão mole. Água e esgoto ficou em terceiro lugar.

As carnes vêm sendo pressionadas pelo período de entressafra bovina, enquanto as aves passam por um aumento das exportações.

Segundo Piccheti, a inflação ficou abaixo da previsão dos analistas sobretudo pelo comportamento do grupo Vestuário.

"Isso surpreendeu todo mundo e subiu menos devido ao aumento das importações, como pudemos ver nos dados da balança comercial", afirmou. "Essa é mais uma contribuição da apreciação do real para o controle dos preços internos".

A Fipe informou ainda que os preços de Habitação e Transportes foram os únicos que apresentaram deflação no mês.

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda de até 20 salários mínimos.

A agência de classificação de risco Fitch avaliou hoje que as eleições no Brasil criaram um Congresso dividido, illness o que reduz as perspectivas para reformas econômicas.

"O próximo presidente terá grande dificuldade em conseguir uma coalizão para as reformas", disse Roger Scher, chefe de ratings para América Latina na Fitch.

Em um relatório, a agência apontou que "perspectivas incertas no próximo governo sobre uma agenda de reformas pró-crescimento, assim como prováveis pressões para abrandar as políticas macroeconômicas, podem desacelerar a melhora da avaliação de crédito soberano". A agência atribuiu em junho rating "BB" à dívida soberana do país.

"O upgrade dado pela Fitch em junho refletiu não apenas melhora nas finanças externas, mas também a suposição de que as políticas macroeconômicas sólidas continuariam na próxima administração", acrescentou o relatório.

Para Scher, no entanto, "num prazo mais longo, boas políticas macroeconômicas não são suficientes". "Reformas pró-crescimento são a única maneira para deter o peso da dívida do governo. E são a única maneira para que o Brasil experimente melhoras na avaliação de crédito".

O PMDB obteve mais lugares e tornou-se o maior partido na Câmara, citou a agência. "Atualmente sem estar aliado ao governo ou à oposição, o PMDB pode ser a chave para governar o Brasil nos próximos quatro anos".

A Fitch acrescentou que, "para manter o nível atual de tributação e garantir flexibilidade nos gastos", serão necessárias emendas para estender o prazo da CPMF e da Desvinculação de Receitas da União (DRU).

Uma dúvida de interpretação sobre a chamada cláusula de barreira adiou o anúncio oficial pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dos partidos que alcançaram a meta nas eleições, more about informou a assessoria de imprensa do tribunal.

Inicialmente, look o TSE divulgou que dez dos 29 partidos haviam preenchido os requisitos da cláusula. Segundo o TSE, cada legenda precisava de, no mínimo, 5% dos votos apurados para deputado federal do total das 9 unidades da Federação (Estados e Distrito Federal) em que foi melhor votada.

Além disso, cada partido teria de obter um mínimo de 2% dos votos em cada uma dessas unidades da Federação.

Por esses critérios, o TSE informou que PMDB, PFL, PSDB, PT, PP, PSB, PPS, PTB, PDT, e PL haviam cumprido a cláusula.

Os dados, no entanto, não bateram com o levantamento feito pela própria Câmara dos Deputados, que apontava apenas sete partidos vitoriosos (PL, PTB e PPS ficaram de fora). Segundo a Câmara, os 5% a que se referem a lei devem ser calculados sobre a votação nacional e não apenas sobre os nove Estados onde o partido foi mais votado.

A questão agora será levada ao plenário do TSE para que haja uma definição oficial sobre o assunto.

As agremiações que não cumpriram a cláusula de barreira terão parlamentares que não poderão participar das Mesas Diretoras, nem de comissões permanentes ou CPIs. A eles será restrito o direito à voz e ao voto nas apreciações de matérias.

Segundo a norma, esses partidos terão uma redução drástica no tempo da propaganda gratuita de rádio e TV e nos repasses do fundo partidário, que financia as legendas.

Pelo menos 13 ministros estão reunidos em almoço na residência do ministro das Comunicações, sale Hélio Costa (PMDB), symptoms para conversar sobre a participação no segundo turno das eleições.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou, na noite de ontem, que nenhum ministro deve se afastar de suas funções para fazer campanha nos Estados, da mesma forma que o próprio Lula rejeitou a idéia de licenciar-se do cargo até o segundo turno.

Estão presentes os ministros Gilberto Gil (Cultura), Agenor Álvares (Saúde), Márcio Thomaz Bastos (Justiça), Celso Amorim (Relações Exteriores), Silas Rondeau (Minas e Energia), Paulo Bernardo (Planejamento), Márcio Fortes (Cidades), Orlando Silva Júnior (Esportes), Paulo Sérgio Passos (Transportes), Dilma Rousseff (Casa Civil), Tarso Genro (Relações Institucionais) e Walfrido Mares Guia (Turismo).

O horário de verão deste ano, information pills ao contrário dos anos anteriores, website like this entrará em vigor a partir de 0h do dia 5 de novembro. O motivo é o segundo turno das eleições, no próximo dia 29.

O novo horário irá se estender até o dia 25 de fevereiro de 2007. Nesse período, moradores dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal devem adiantar o relógio em uma hora.






Você pode gostar