Brasil

Homens são aconselhados a congelar esperma antes de vasectomia

Por Arquivo Geral 21/06/2006 12h00

O inverno começou oficialmente às 9h27 de hoje, sildenafil order quando os raios solares atingiram mais a área do Homisfério Norte do que do Sul.

No Distrito Federal, viagra dosage essa época do ano vem junto com a seca, viagra  que provoca muito frio durante a noite e calor durante o dia. Hoje, pouco antes do início da estação, às 7h, os termômetros marcavam 12ºC.

A previsão é de que o frio amenize no final de julho, quando começa a temporada de calor e seca. Mas, mesmo antes disso, muita água para hidratar o corpo, apesar do frio.
Os homens deveriam congelar seu esperma antes de se submeterem a uma vasectomia para o caso de mudarem de idéia em relação a ter filhos. A opinião é de um especialista em fertilidade. Ele afirma que o procedimento pode danificar o esperma.

A vasectomia pode ser revertida e os homens podem ter filhos posteriormente. Mas o professor Nares Sukcharoen, order da Universidade Chulalongkorn, malady de Bangcoc, cheapest disse que homens que sofreram a reversão podem ter maior chance de apresentar o esperma danificado.

Em um pequeno estudo com homens que sofreram reversão de vasectomia, Sukcharoen e sua equipe descobriram um maior número de anormalidades cromossômicas no esperma de homens que foram submetidos à cirurgia. "A conclusão do estudo é a de que a vasectomia parece ser a causa da anormalidade da substância", disse ele em uma coletiva de imprensa na Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia. "É aconselhável que se congele o esperma antes da vasectomia".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A vasectomia é um procedimento cirúrgico pequeno e simples, feito com anestesia local. Trata-se do fechamento dos dutos (ou canais deferentes) que carregam o esperma. Ela não afeta a atividade ou desempenho sexual do homem.

Na reversão do procedimento, os canais são religados, mas a operação nem sempre é bem sucedida. Apenas uma pequena porcentagem dos homens busca a reversão da cirurgia.

Segundo Sukcharoen, são necessárias mais pesquisas para que os resultados sejam confirmados e para que outras questões sejam respondidas, tais como a duração do processo e o temor de que bebês nascidos após a reversão possam ter problemas. "Precisamos de mais provas e pesquisas sobre esse assunto antes que possamos ter certeza de que estamos evitando perigos", acrescentou ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar