Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Fracasso do Brasil no combate à pandemia é culpa do governo, diz estudo

Artigo publicado na revista Science mostra que o governo federal tem um peso desproporcional no caos vivido no país desde março do ano passado

Foto: Reuters

O governo federal é um grande culpado pelo fracasso do Brasil no combate à pandemia do novo coronavírus. É o que aponta um artigo assinado por dez cientistas do Brasil e dos EUA, liderado pela demógrafa Márcia Castro, professora da Universidade Harvard, publicado na revista Science, uma das mais importantes da ciência no mundo.

O estudo considera que gestores públicos em vários estados também têm culpa, mas os erros do governo federal têm peso maior. Os pesquisadores dizem que o governo não dá respostas ágeis e coordenadas no combate à doença, o que permite o espalhamento do vírus no país.

O artigo reconhece o tamanho do país e afirma que “nenhuma narrativa única” explica a diversidade da disseminação da covid, mas cita que poderiam ter sido feitos bloqueios que pudessem evitar o espalhamento da doença entre municípios e estados, porque o Brasil é um país grande e relativamente bem conectado.

Para os pesquisadores, há um terceiro fator, e ele é exclusivamente político. O estudo relembra que cidades e estados governados por aliados do presidente Jair Bolsonaro tomaram menos ações, e a polarização ideológica prejudicou a adesão a medidas. Diferentemente de São Paulo, por exemplo, cujo governador (João Doria) se tornou opositor a Bolsonaro e tomou iniciativas de comprar vacinas contra a doença por conta própria.

Existem ainda mais duas razões, na visão dos pesquisadores. São eles: a falta de testagem e acompanhamento detalhado da pandemia e a falta de sincronia nas medidas de isolamento social, diariamente criticas pelo presidente e apoiadores.

Munição para CPI

O estudo, que mapeou o espalhamento da doença com detalhes no Brasil entre fevereiro e outubro do ano passado, sai na mesma semana em que o Senado prepara uma CPI (comissão parlamentar de inquérito) para investigar a responsabilidade por equívocos na resposta à epidemia. Alavancada por outros estudos realizados antes, a pesquisa mostra houve grande variedade na qualidade da resposta à pandemia, e isso é uma marca típica de problemas de “omissão” e “erro” do governo federal, porque o Ministério da Saúde e o SUS são os grandes responsáveis por atenuar as desigualdades regionais nas políticas de saúde.

Questionada sobre a possibilidade do uso de seu estudo como instrumento para a CPI da pandemia, Márcia Castro disse ao O Globo que as conclusões tiradas ali não foram produzidas com finalidade jurídica, e que este não foi o único estudo científico a apontar as origens dos problemas na política brasileira contra o coronavírus.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar