Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Deputado de Goiás propõe o cancelamento das festas de fim de ano e Carnaval

Apesar do avanço quanto à vacinação e o surgimento de variantes, é necessário cautela e continuar tomando todas as medidas de prevenção

O deputado federal José Nelto (Podemos/GO) protocolou o Projeto de Lei 4194/21, que obriga a suspensão de grandes festejos nacionais, estaduais e municipais, enquanto durar o atual cenário de Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional. Entre os grandes eventos, estão a Festa da Virada (Ano Novo), Carnaval, Festividades Juninas, e outras comemorações semelhantes.

“É inegável a importância dessas festividades para a manutenção do emprego e da renda de nossa população. Contudo, estamos diante ainda de um cenário de pandemia de Covid-19 e o direito à vida tem que estar acima de tudo”, defendeu José Nelto.

Apesar do avanço quanto à vacinação e o surgimento de variantes, é necessário cautela e continuar tomando todas as medidas de higiene para prevenir a contaminação e o uso de máscaras, em locais públicos e abertos.

O ressurgimento de casos de Covid-19 em toda a Europa está atrelado à abertura de suas fronteiras e ao abandono de parte das orientações da Organização Mundial da Saúde para prevenção da doença, em especial, para que aglomerações sejam evitadas.

Somente no Brasil, o novo coronavírus vitimou mais de 22.067.630 milhões de pessoas, das quais 613.957 resultaram em óbito, conforme informações obtidas em 26 de novembro, às 18h.

Exemplo em Goiás

Em Goiás, estado do parlamentar, existe a Lei Estadual nº 20.967, que suspende o feriado do carnaval. Outros governadores e prefeitos estão caminhando no mesmo sentido, visando cancelar qualquer tipo de festividade que possa provocar grande aglomeração.

“Contudo, infelizmente, temos governantes que desprezam as evidências médicas e seguem na organização de grandes eventos, em prejuízo à saúde das pessoas. É preciso diálogo entre os representantes dos poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário) para colocar a vida em primeiro lugar”, disse o deputado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar