Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Autor de ataque em Saudades-SC é indiciado por cinco homicídios

Delegado responsável pelo caso explicou que o assassino era um jovem com dificuldades para se relacionar “num nível muito acima do normal”

Por Willian Matos 14/05/2021 11h30
Foto: Divulgação

O jovem de 18 anos que matou três crianças e duas profissionais em uma creche de Saudades-SC no último dia 4 foi indiciado nesta sexta-feira (14) por cinco homicídios qualificados e uma tentativa de homicídio. A Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC) concluiu hoje o inquérito.

O autor atacou, com facões, seis pessoas, sendo quatro crianças e duas mulheres (uma professora de 30 anos e uma agente educacional de 20). Um dos bebês sobreviveu.

Ao anunciar a conclusão do inquérito, o delegado Jerônimo Marçal, responsável pela investigação, disse que o jovem planejava atacar a escola onde ele estudou. No entanto, ele descartou a hipótese após não conseguir armas de fogo. “Como achou que não conseguiria enfrentar alunos [da escola dele] com uma arma branca, foi na creche”, explicou o delegado. Ele agiu sozinho no crime.

Ao falar mais sobre o jovem, o delegado cita que era uma pessoa isolada, que tinha dificuldades de relacionamento “num nível muito acima do normal”. “Vou dar dois exemplos: a família se reunia para jantar e ele não jantava junto, e pedia para a mãe comprar roupa [para ele]”, disse Marçal.

“Nos últimos tempos se isolou cada vez mais. Entrou num mundo com muitas ideias violentas e pessoas que pensavam de forma parecida com ele. Ele alimentou esse ódio nos últimos meses, criou esse ódio generalizado.”

Relembre o caso

No dia 4 de maio, o jovem de 18 anos entrou na creche e procurou primeiro a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos. Ela foi atacada e correu para uma sala na tentativa de fugir do autor.

O assassino conseguiu entrar nessa sala, onde estavam a agente educacional Mirla Renner, de 20 anos, e mais quatro crianças:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses;
  • Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses;
  • Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses;
  • Henryque, de 1 ano e 8 meses, único sobrevivente.

O jovem atacou a si mesmo após matar as vítimas. Ele foi socorrido e, após ficar em estado grave, se recuperou e já teve alta. Na casa dele, a polícia encontrou R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas.






Você pode gostar