Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Médicos retiram 62 larvas de cabeça de homem

Bichos estavam “devorando vivo” a cabeça do indivíduo por dentro. Ele teve de raspar todo o cabelo

Willian Matos

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da redação
redacao@grupojbr.com

62 larvas foram retiradas da cabeça de um homem que vivia em situação de rua. Ele foi a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) apenas para tomar um banho, mas os médicos perceberam que o problema era mais grave.

O homem, de idade não informada e identificado apenas como Bruno, estava com Berne avançada — infestação causada por larvas da mosca Dermatobia hominis. Ele foi enviado à UPA de Peruíbe, litoral de São Paulo, por um amigo de um médico do local, com o combinado de receber apenas um ‘trato’: tomar um banho, cortar o cabelo e trocar de roupa.

Porém, como conta o médico Bruno Chehade Pereira, ao cortar o cabelo do homem, o problema começou a aparecer. “Achamos que seria só para dar um trato nele, cortar cabelo, dar um banho, mas quando começamos o corte vimos que tinha muito piolho e começou a sair uma secreção do couto cabeludo”, conta, ao portal G1.

O médico, então, precisou raspar o cabelo por completo para ver a gravidade. Foi aí que ele notou que as larvas estavam corroendo o couro cabeludo do homem por dentro. Foi aplicada uma medicação para que as pragas saíssem da cabeça dele. 

Foi um trabalho manual. A equipe de enfermagem tirou uma a uma. No total, foram 62 larvas que tiramos uma a uma com a pinça.

Homem ficou “zerado” após o cuidado dos médicos. Foto: Bruno Chehade/Arquivo pessoal

Depois do banho e do tratamento, que durou cerca de cinco horas, os médicos da UPA conseguiram contatar a família de Bruno e mandá-lo para a casa de um familiar. Segundo o G1, ele é alcoólatra e cata latinhas para sobreviver.


Leia também
Publicidade