Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Idosa fica sem evacuar por um mês após doença misteriosa

Paciente está internada no hospital há mais de 11 dias e, até o momento, os médicos não identificaram o problema de saúde dela

Publicado

em

Publicidade

Da redação
redacao@grupojbr.com

A idosa Enaura Helena da Silva, de 60 anos está há quase um mês sem evacuar. De acordo com familiares, ela ainda não recebeu um diagnóstico conclusivo a respeito do estado de saúde dela. 

De acordo com a filha da paciente, Dayane Silva Ricci, de 27 anos, a mãe, que sofre com Mal de Parkinson e princípio de Mal de Alzheimer, passou a sentir dores abdominais desde o começo de outubro, além de não conseguir ir ao banheiro. 

Com o aumento das dores, a família buscou atendimento para a idosa na Unidade de Pronto Atendimento de Samambaia, em Praia grande-SP, onde a idosa mora, no dia 25 de outubro. Na UPA, dona Enaura passou por um exame de raio-x, o qual apontou uma anomalia no abdômen dela. 

A filha dela afirma que, ao apresentar o exame para a médica, a especialista entregou uma carta de solicitação para a internação da idosa. Com a carta, a família percorreu unidades de saúde e hospitais da região, até que Enaura foi aceita no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande. 

A filha, que reveza os cuidados da mãe com duas tias e o irmão, afirma que, até o momento, os médicos não diagnosticaram o sinal identificado no raio-x da paciente. A filha diz que é uma negligência. 

Em nota, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), gestora do Hospital Irmã Dulce, informa que Enaura já realizou diversos exames, está medicada e em acompanhamento pela equipe multidisciplinar da unidade. O encaminhamento do tratamento já está em curso, mas ainda há necessidade de exames complementares.

A unidade esclarece, ainda, que a troca constante de acompanhantes gerou dúvidas, questionamentos e inclusive atrasos na realização de alguns exames, por isso, a direção coloca-se à disposição para fazer uma reunião com todos os familiares interessados a fim de prestar os devidos esclarecimentos sobre o quadro da paciente.



Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *