fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Homem é preso após agredir funcionário de rede de fast food com comentários racistas e homofóbicos

O caso foi levado para a Delegacia de Plantão do Barreiro (Deplan 3) e o suspeito foi autuado em flagrante por injúria racial

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Nessa segunda-feira (23) um homem foi preso após chamar um atendente de uma rede de fast-food de “macaco” e “viado” após ele não ter troco para uma nota de R$ 100. As ofensas teriam acontecido no Burger King do Via Shopping, em Belo Horizonte.

O boletim de ocorrência foi registrado pelo jovem de 23 anos. Guardas municipais contaram que o jovem foi visto na rua gritando que tinha sofrido ataques racistas. O suspeito, de 27 anos, teria tentado embarcar em um taxi para sair do local, mas foi parado pelos guardas.

O suspeito deu outra versão no boletim de ocorrência e, segundo ele, teria sido chamado de aleijado por ter problemas nos dedos. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Plantão do Barreiro (Deplan 3) e o suspeito foi autuado em flagrante por injúria racial, sendo encaminhado ao sistema prisional.

Em nota, a rede de fast food disse que “repudia todo e qualquer tipo de discriminação, seja em suas lojas ou em toda a sociedade. A companhia informa que está ao lado de seu colaborador, prestando o suporte e apoio para garantir que todas as medidas necessárias sejam tomadas. A rede reforça que acredita e fomenta a importância de uma sociedade plural, onde todos sejam bem-vindos”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Via-Shopping afirmou que “lamenta imensamente a injúria racial e homofóbica sofrida por um dos colaboradores de seus lojistas na última segunda-feira, 23, e reitera que tais comportamentos são inadmissíveis e sempre serão combatidos”. “Nossa maior premissa é propiciar às milhares de pessoas que por nossos corredores passam experiências positivas, e quando um fato expõe quem quer que seja, em especial um funcionário que é parte fundamental de nossa engrenagem, ficamos profundamente consternados. Primamos pela justiça e igualdade e, com empatia, seguimos à disposição para contribuir com o andamento do caso, bem como com todo o acolhimento necessário ao funcionário”.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade