fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Após ficar 11 dias presa por engano, mulher chora ao visitar irmã em penitenciária

Após um ano e três meses, Danielle visita irmã no presídio Talavera Bruce, no Rio de Janeiro

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

A esteticista Danielle Estevão Fortes, de 27 anos, ficou 11 dias presa por um crime que não cometeu após ter sido confundida com a irmã, Daniela Silva Estevão, de 24 anos. Após um ano e três meses, Danielle superou o medo de andar sozinha e os traumas que adquiriu no período em que permaneceu detida para conseguir, enfim, visitar a irmã no presídio Talavera Bruce.

Daniela foi presa no final de junho do ano passado suspeita do crime de roubo. De acordo com as investigações, ela teria participado de dois assaltos em lojas de celulares, no início de junho de 2019. No entanto a polícia acabou prendendo a esteticista por engano e a encaminhando ao Complexo Penitenciário do Gericinó, na Zona Oeste do Rio.

Foto: Reprodução

A família reside no distrito de Mauá, em Magé, distante 70 quilômetros da penitenciária onde Danielle foi mantida por 11 dias. No dia 18 de junho de 2019, a justiça reverteu o erro e foi expedido o alvará de soltura da esteticista.

Nesta segunda-feira, Danielle foi até o presídio Talavera Bruce para encontrar a irmã. O reencontro foi marcado por lágrimas e pela falta de um abraço. Devido a pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) determinou uma série de regras para evitar a disseminação da Covid-19 nos presídios, o que inclui o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre detentos e visitantes. Após sair da cadeia, a esteticista afirmou ter perdoado a irmã mais nova.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Danielle foi presa após prestar depoimento sobre o assassinato de um irmão. Na ocasião, a polícia local identificou um mandado de prisão expedido pela Justiça em nome dela. No entanto, a ordem se tratava de um engano, após as irmãs terem sido confundidas. Daniela havia sido flagrada por câmeras de segurança durante um dos assaltos e, ao investigar o caso, a polícia identificou, erroneamente, a suspeita como sendo Danielle.

Foto: Reprodução




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade