fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Republicanos pedem à Suprema Corte para interromper contagem de votos na Pensilvânia

A petição pede ao tribunal que ordene aos funcionários eleitorais da Pensilvânia que confisquem todas as cédulas recebidas após terça-feira e que revise a decisão do governo do estado de aceitá-las

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Partido Republicano da Pensilvânia pediu à Suprema Corte dos Estados Unidos nesta sexta-feira (6) a interrupção da contagem dos votos que estão chegando atrasados, em um estado onde o democrata Joe Biden assumiu a liderança e que seria decisivo para ele vencer a eleição.

O partido do presidente Donald Trump pediu ao tribunal que pare a apuração de votos de milhares de cédulas enviadas pelo correio que chegaram após o dia da eleição, terça-feira, e as desqualifique. A maioria desses votos seriam a favor de Biden.

A petição pede ao tribunal que ordene aos funcionários eleitorais da Pensilvânia que confisquem todas as cédulas recebidas após terça-feira e que revise a decisão do governo do estado de aceitá-las.

“Dados os resultados da eleição geral em 3 de novembro de 2020, a votação na Pensilvânia pode muito bem determinar o próximo presidente dos Estados Unidos”, disseram os republicanos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Não está claro se os 67 conselhos eleitorais do condado estão deixando de lado as votações tardias”.

Os republicanos questionam há meses a decisão do estado de aceitar cédulas enviadas com carimbo do dia 3 de novembro, até mesmo as que cheguem dentro do prazo de três dias a partir do dia da eleição, que expira nesta sexta-feira.

A suprema corte estadual julgou que a decisão era legal, mas os republicanos recorreram na esfera federal.

Em 19 de outubro, a Suprema Corte dos Estados Unidos, que tinha uma cadeira vaga na época, recusou-se a tomar uma decisão porque havia um empate de 4 a 4 entre seus membros liberais e conservadores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No entanto, foi indicado que o caso poderia ser retomado mais tarde. Desde o final de outubro o mais alto tribunal do país está novamente completo, com a confirmação pelo Senado da conservadora juíza Amy Coney Barrett, indicada por Donald Trump.

Se o tribunal decidir pela suspensão e aceitar o caso, tem o poder de declarar como inválidas as cédulas que chegam com atraso, que já estão sendo separadas das demais.

Mas também pode acontecer que essas cédulas não sejam suficientes para virar a eleição a favor de Trump. Biden está atualmente liderando neste estado decisivo que pode determinar um vencedor.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade