fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Dois projetos de vacina contra a covid-19 ‘produzem resposta imune’

Projetos, oriundos de laboratórios do Reino Unido e da China, mostraram-se seguros para os pacientes e produziram resposta imunológica

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Dois projetos de vacina contra a covid-19 – um britânico e outro chinês – mostraram-se seguros para os pacientes e produziram resposta imunológica, conforme os resultados dos ensaios clínicos, publicados nesta segunda-feira (20) na revista médica “The Lancet”.

O primeiro, desenvolvido pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca, gerou “uma forte resposta imunológica” em um ensaio realizado com mais de 1.000 pacientes. O segundo, apoiado pela Cansino Biologics, provocou uma forte reação de anticorpos em outro ensaio na maioria de seus cerca de 500 participantes, completa a revista.

Quanto à vacina de Oxford, os estudos dizem que duas doses do antídoto podem proteger ainda mais.

Contudo, os especialistas afirmam que ainda é preciso esperar resultados de mais estudos. Mesmo assim, o governo do Reino Unido já encomendou 100 milhões de doses do medicamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Se a eficácia da vacina seguir sendo comprovada, este estudo é mais um passo para a produção e distribuição comercial do medicamento, o que pode ocorrer em janeiro de 2021.

Clique no link e veja os resultados dos estudos.

Chegada ao Brasil

Doses de uma terceira vacina chegaram ao Brasil nesta segunda-feira (20). As doses do instituto chinês Sinovac desembarcaram em São Paulo e serão ministradas pelo Instituto Butantan.

Doses da vacina serão distribuídas a outros três estados (Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná) e ao Distrito Federal. Em Brasília, a Universidade de Brasília (UnB) receberá o antídoto. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Butantan poderá iniciar os testes ainda nesta segunda (20). Nesta primeira fase, a vacina será testada em profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à covid-19. Em São Paulo, os testes devem durar três meses, segundo o governador João Doria. 




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade