Jornal de Brasília

Informação e Opinião

JBr Pets

Caixa de areia e substratos: entenda um pouco mais sobre o banheiro dos gatos

Com a chegada de novas opções no mercado, como a areia biodegradável, especialistas dão dicas de como escolher a melhor opção para os felinos

O número de gateiros vem crescendo no Brasil. Segundo números do Censo Pet IPB, realizado pelo Instituto Pet Brasil (IPB), a população de gatos aumentou em 6% nos lares brasileiros entre os anos de 2020 e 2021, o que representa um salto de 26,6 milhões para 27,1 milhões em apenas um ano.

Junto com o aumento de gatos, surgem também as dúvidas, sendo algumas delas, relacionadas ao banheiro do pet. Com tantas opções no mercado, qual seriam as alternativas ideais?

Jade Petronilho, médica-veterinária comportamentalista e coordenadora de conteúdo da Petlove, e André Romeiro, diretor executivo de Marcas Exclusivas na Petlove se propõem a elucidar pontos fundamentais.

Qual areia escolher?

Jade explica que o ideal, é que os tutores tenham várias opções para testar com o gato e descobrir qual o felino se adapta melhor, visto que alguns “preferem a areia de madeira, outros gostam de uma mais fofinha, há os que se sentem melhor com a sílica ou com grãos mais grossos”.

André realça que um dos benefícios da areia biodegradável é a facilidade de limpeza e alto rendimento do uso, além de gerar residuais orgânicos, por ser produzida com ingredientes vegetais naturais de fontes renováveis e sem produtos artificiais, não deixa resíduos após a decomposição. “Com a areia Biodegradável, o tutor facilitará ainda mais a rotina de cuidados com o seu gato, os torrões são instantâneos, firmes e há total eliminação do odor da urina e das fezes, com isso a areia rende muito mais durante o uso”, complementa Romeiro.

“Além da areia biodegradável, existe uma variedade enorme com diferentes características. A areia de bentonita costuma criar torrões firmes, que não quebram com facilidade, e a de diatomita é formada por pequenas pedrinhas que conseguem absorver a urina. Já a opção de sílica não forma torrão e deve ser trocada quando o composto estiver saturado de xixi. Como podem notar, há vários substratos e com diferentes tamanhos de grãos para o felino experimentar”, destaca Petronilho.

Saúde Felina

Petronilho afirma que as fezes normais de um gato devem ser consistentes, de coloração marrom e sem odor forte, e que algo diferente disso pode significar algum problema de saúde. É importante que o tutor faça esse monitoramento para cuidar dos bigodudos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O executivo sugere que, nesse sentido, areias com cores mais claras podem permitir maior visibilidade, possibilitando um maior cuidado com a saúde do bichano.

Tamanho ideal da caixa de areia

A médica-veterinária ressalta que uma caixa de areia adequada não deve apenas comportar o tamanho do gato, mas também deve ser grande o bastante para permitir a mobilidade, já que os felinos precisam de liberdade para girar, se acomodar, além do espaço para cavarem e taparem suas necessidades.

“Colocar pouca areia na bandeja é um erro comum dos tutores, mas precisamos lembrar que a funcionalidade da caixa é servir de algo como um canteiro, que o gatinho teria acesso caso vivesse na natureza, por exemplo, onde a terra seria abundante e suficiente para ele poder enterrar seus dejetos com extrema facilidade”, ressalta a comportamentalista.

Quantas caixas de areia?

Jade Petronilho diz que diversificar é essencial e que os tutores devem ter uma caixa a mais por gato. “Se há um gato na casa, devemos ter duas caixas, se há dois, devemos ter três e assim por diante. Com apenas uma caixa, a chance do gato considerá-la suja é muito grande, mesmo com alta frequência na limpeza. Gatos são muito higiênicos, ter mais de uma alternativa irá trazer maior bem-estar a eles”, resume a coordenadora de conteúdo da Petlove.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar