Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Celebridades

Fernanda Lima e as regras dos filhos com eletrônicos

Apresentadora e Rodrigo Hilbert estabeleceram algumas regras básicas com João e Francisco

Preocupada com a interação excessiva dos filhos com a tecnologia, a apresentadora Fernanda Lima estabeleceu algumas regras para que o uso dos “Gadgets” sejam mais saudáveis. Para evitar o uso abusivo de celular, vídeo game e computador Fernanda

Durante o programa apresentado ao lado do marido, Fernanda comenta: “A minha preocupação é a seguinte: tem uma mãe que está ali fora do quarto, que é a situação das mães nesta geração, que acompanha filhos que estão totalmente ligados com as telas, que não querem sair das telas. E a gente chama ‘vamos para o parque’, ‘vamos para a praia’, não, eles querem ficar nas telas.”

“Eu li uma história uma vez, que eu nunca me esqueci: você deixar um filho dentro de um quarto, sozinho, e você ir dormir, é como se você deixasse ele no meio de uma praça à noite, sozinho, e fosse embora”. Em um vídeo durante o programa, ela falou sobre as regras estabelecidas para os filhos:

“O excesso de telas em casa e algo que nos preocupa bastante, então a gente tem alguns cuidados e acordos com os meninos. A gente fez algumas regras para coisa não ficasse muito solto. A 1ª regra é: de madrugada eles não podem usar a internet, é um pacto entre a gente que não tem discussão, então quando é hora de dormir eu digo ‘chega por hoje’ eles desligam tudo. A 2ª regra: não usamos celular na mesa de jantar, nem celular nem televisão, nenhum tipo de eletrônicos, nenhum tipo de distração, a gente foca na nossa comida e na nossa interação.”

Ela prosseguiu: “A 3ª regra: a gente coloca controle parental no celular e computadores com palavras que a gente considera inapropriadas para a idade deles. A 4ª regra: limitamos o número de horas na frente da tela, então quando é dia de semana, que eles têm aula e eles pode ficar menos. A 5ª regra: a gente barganha atividades lúdicas, criativas, intelectuais em troca de tempo de tela.”

“Então, eles têm que fazer uma redação, eles têm que ler um livro, toda noite ler um trechinho de um livro, têm que construir algo divertido, dançar, praticar esporte, tocar um instrumento, enfim, exercitar outras áreas do cérebro. A 6ª e última regra: depois de muito tempo de tela, muitas vezes acontece das crianças ficarem um pouco alteradas e eu sinto uma energia de agressividade, por conta de jogos de armas, então eles ficam mais agressivos. Quando isso acontece eu sento com eles e proponho três minutos de respiração, as vezes eles resistem um pouco, um quer fazer deitado, outro fica sentado.”

“O Rodrigo normalmente faz junto, mas depois que passamos por esse momento, é nítido que as coisas ficam muito mais tranquilos. O mais importante é ficarmos atentos, a gente tem que dar limites. Temos que abrir sempre abrir espaço para o diálogo”, completou ela.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar