fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Rede Feminina recebe R$ 47,9 mil de doação repassada pelo IGESDF

A empresa Copacol foi a responsável pela doação, que realizou durante todo o mês de outubro a arrecadação de R$ 1 por cada pacote de tilápia vendida no DF

Aline Rocha

Publicado

em

Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF
PUBLICIDADE

Da Redação 
[email protected]

Por meio do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) a Rede Feminina de Combate ao Câncer do Hospital de Base do Distrito Federal recebeu, nesta terça-feira (26), uma doação de R$ 47.952. A empresa Copacol foi a responsável pela doação, que realizou durante todo o mês de outubro a arrecadação de R$ 1 por cada pacote de tilápia vendida no Distrito Federal (DF).

“Esse valor tem uma carga de solidariedade muito grande, porque vai ajudar muitos pacientes que são assistidos pelos projetos sociais da Rede Feminina de Combate ao Câncer, que tem um trabalho reconhecido, que salva vidas. Por isso, essa parceria entre a Rede Feminina, o IGESDF e a Copacol é fundamental para fortalecer o trabalho de combate ao câncer”, destacou o diretor-presidente do IGESDF, Francisco Araújo.

O gerente de Vendas da filial da Copacol em Brasília, Aguimar da Silva, explicou que aproximadamente 15 parceiros estavam envolvidos na arrecadação. “Ajudar as pessoas no momento em que elas mais precisam é muito importante. Por isso, escolhemos essa causa do câncer e o Hospital de Base que é referência nesse tratamento”, afirmou, ao destacar que essa é a segunda edição do “Tilápia Rosa”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segunda ele, cada unidade comercializada nos pontos de venda parceiros corresponde a R$1 real de doação. “Vendemos 2.977 caixas que representaram esse valor”, disse.

Eliete de Carvalho Santos, é vendedora interna da Copacol e foi diagnosticado em 2018 com câncer. Ela faz o tratamento no Hospital de Base e participou hoje da entrega. “Fui muito bem atendida por todos os setores. Consegui fazer todo o tratamento e agora estou fazendo acompanhamento. Nunca me faltou nada”, contou.

A voluntária da Rede Feminina, Ana Paula Fernandes, explicou que a associação desenvolve projetos exclusivamente com dinheiro de doação. “São quase 30 projetos de assistência ao paciente que passam pela visita ao leito, acolhimento, pagamento de passagem, entrega de cestas básicas, perucas, produtos de higiene, entre outras ações”, finalizou.

Com informações do IGESDF

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade