fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Produtores rurais são orientados a evitar propagação da covid-19

Emater-DF tem distribuído máscaras e elaborou uma cartilha com orientações

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF) tem orientado os produtores rurais da capital a evitar a propagação do novo coronavírus. Desde março, quando o vírus chegou no Brasil, o órgão vem distribuindo máscaras aos agricultores. Além disso, nos próximos dias, a empresa deve divulgar uma cartilha com  orientações.

A cartilha está disponível na página da Emater e pode ser baixada para consulta ou distribuição.  A publicação reforça o foco na higiene pessoal dos agricultores, dos equipamentos que eles usam no dia a dia e do manejo dos produtos destinados à comercialização em feiras e mercados.

Agência Brasília visitou a Chácara Modelo, na região da Estrutural, junto com a nutricionista e extensionista da Emater-DF Letícia Martinez para ver como a propriedade trata da limpeza das hortaliças que produz, dos insumos e equipamentos usados na lavoura, além da higiene pessoal de funcionários que trabalham no plantio, colheita, lavagem e embalagem das hortaliças. Dessa visita saiu um vídeo rápido e didático mostrando a higienização que deve ser feita em cada etapa da produção para evitar a propagação do coronavírus. 

Referência

Segundo Letícia, a propriedade é referência no cuidado com a produção. A chácara de 14 hectares é certificada com o selo de Boas Práticas Agropecuárias (BPA) que tem, entre os requisitos para sua obtenção, uma série de cuidados sanitários que também são recomendados para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Com a pandemia, a gente reforçou ainda mais esses procedimentos e com alguns cuidados a mais. A gente recomendava lavar a mão sempre, agora a gente está reforçando mais. As máscaras não eram utilizadas no campo, agora o trabalhador tem que usar o tempo todo. Alguns cuidados de contato também, em que alguns equipamentos têm de ser higienizados com mais frequência”, disse a extensionista.

Todas essas recomendações figuram na cartilha da Emater-DF. Entre as orientações, estão a limpeza dos carrinhos usados para transportar as hortaliças colhidas para as áreas de lavagem e higienização. Os carrinhos devem ser lavados com água e sabão ou solução sanitizante (100 ml de água sanitária para cada 10 litros de água). As caixas usadas para levar os produtos aos mercados e feiras são lavadas e as embalagens de insumos e as ferramentas usadas no cultivo são higienizados antes e depois de cada uso.

“Essas iniciativas levadas a campo pelos técnicos da Emater salvam vidas nas áreas rural e urbana e garantem alimentos de qualidade, seguros e saudáveis. Vamos continuar levando orientações mesmo após o fim da pandemia, porque já fazíamos isso antes do surgimento do coronavírus, no processo de certificação de propriedades rurais”, disse a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca.

No Distrito Federal, cerca de 30 propriedades possuem o selo e pouco mais de mil produtores estão em processo de certificação. Para obter o selo BPA, a propriedade tem 73 itens avaliados, que vão das condições sanitárias até as relações de trabalho. A propriedade que apresentar conformidade mínima exigida de 70%, respeitando o cumprimento de todos os itens obrigatórios, é certificada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A certificação é concedida por meio do programa Brasília Qualidade no Campo, da Secretaria de Agricultura com a participação da Emater-DF, Ceasa-DF e da Secretaria de Saúde. Nesse processo, os extensionistas da Emater-DF fazem o trabalho de orientação para a adequação da propriedade. Pelo programa, são certificadas propriedades rurais de produtores de hortaliças, frutas, grãos, suínos e leite.

Novo coronavírus

O coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias que podem levar à morte. A nova variação do coronavírus foi descoberta no final do ano passado na China e é responsável pela doença chamada Covid-19. Ainda não há vacina contra o micro-organismo.

O governo do Distrito Federal foi o primeiro entre as unidades da federação a adotar medidas severas para conter o vírus. Em março, o governador Ibaneis Rocha determinou, entre outras medidas, a suspensão das aulas nas redes pública e privada e a realização de eventos que necessitavam de autorização do governo para serem realizados. Com isso, o DF conseguiu reduzir em muito os casos de contaminação e, consequentemente, de mortes.

Com informações da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade