fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Osnei Okumoto assume interinamente a Secretaria de Saúde

Osnei, que foi substituído por Francisco Araújo há cinco meses, volta à pasta após Francisco ser preso suspeito de participar de fraudes na compra de testes de covid-19

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília
PUBLICIDADE

Após o atual secretário de Saúde, Francisco Araújo, ser preso preventivamente em operação que investiga fraudes na compra de testes de covid-19, o GDF optou por nomear Osnei Okumoto de forma interna na pasta.

Osnei volta à Secretaria cinco meses depois de ser substituído pelo próprio Francisco. Ele reassume a pasta um dia após o DF atingir a marca de 150 mil contaminados pelo novo coronavírus. Destes, 2.316 perderam a vida.

O novo secretário não havia se pronunciado até a última atualização desta matéria.

Operação

Na manhã desta terça-feira (25), o secretário Francisco Araújo e outros cinco membros da saúde do DF foram presos preventivamente. Todos são investigados pelo MPDFT em operação que apura fraudes na compra de testes de detecção do novo coronavírus.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Procuradoria-Geral de Justiça do MPDFT, alguns servidores estariam se organizando para fraudar licitações e comprar testes IgG/IgM de baixa qualidade e com preços superfaturados.

As pessoas presas nesta terça (25) são:

  • Eduardo Hage, subsecretário de Vigilância à Saúde;
  • Eduardo Seara Machado Pojo do Rego, secretário-adjunto de Gestão em Saúde;
  • Ramon Santana Lopes Azevedo, assessor especial da Secretaria de Saúde;
  • Ricardo Tavares, ex-secretário-adjunto de Assistência à Saúde;
  • Jorge Antonio Chamon Junior, diretor do Lacen.

Agentes cumprem outros 44 mandados de prisão, expedidos pelo desembargador Humberto Uchoa, em oito estados brasileiros: Goiás, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Bahia.

“Desnecessária”

O governador Ibaneis Rocha se manifestou a respeito, criticando o MPDFT pela operação, que considerou “desnecessária”. Ibaneis afirmou que o secretário e a equipe dele “sempre estiveram à disposição das autoridades para esclarecer quaisquer fatos” e que os alvos da operação estão sendo “indevidamente acusados”.

O chefe do Executivo afastou preventivamente os acusados de fraudes na compra dos testes. “Aguardo rápida apuração e o esclarecimento dos fatos para que pessoas inocentes não tenham seus nomes indevidamente manchados”, concluiu o governador.

A Secretaria de Saúde também emitiu nota. Veja na íntegra:

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES) informa que sempre esteve à disposição do Ministério Público, colaborando com as investigações e fornecendo todos os documentos necessários à devida apuração dos fatos relativos à operação Falso Negativo, desde a sua fase inicial.

A SES não só disponibiliza as informações solicitadas como franquia o acesso online dos membros do MP a todos os processos de compras e contratos da pasta, através do Sistema Eletrônico de Informações (SEI) e vem realizando reuniões semanais com os membros desse órgão de controle para esclarecer dúvidas, acatar recomendações e aprimorar os mecanismos de transparência dos atos e ações da pasta junto à sociedade.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade