Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Novos contratos para empresas de limpeza urbana 

Trabalhos começam nesta quinta-feira (10), apresentando, com diferencial, a ampliação da coleta seletiva

Publicado

em

Publicidade

Da Redação
redacao@grupojbr.com

As empresas vencedoras do contrato de limpeza urbana do DF – Valor Ambiental, Sustentare Saneamento e Consita Tratamento de Resíduos –receberam ordem de serviço para iniciar os trabalhos a partir desta quinta-feira (10). Dentre as novidades, estão a ampliação da coleta seletiva na capital e a alteração da frequência da coleta convencional de resíduos domésticos.

Com contrato de cinco anos, as empresas selecionadas vão prestar serviços de coleta seletiva, coleta e transporte de resíduos domésticos, remoção manual e mecanizada e transporte de entulhos, varrição manual e mecanizada de vias e logradouros públicos, lavagem de vias e logradouros públicos, limpeza de equipamentos e bens públicos, catação, pintura mecanizada de meios-fios, frisagem, limpeza pós-eventos, coleta de resíduos de caixa de gordura e operação das unidades de transbordo de rejeitos e/ou resíduos.

“O serviço de limpeza urbana em Brasília tem um significado especial”, destaca João Andrade Rezende, diretor-presidente da Consita, empresa pertencente a um grupo português. “É uma conquista que demandou muito suor e trabalho de todos. Tenho plena certeza que executaremos em Brasília, assim como em outras metrópoles e em outros três continentes, um serviço de excelência.”

Publicidade

Investimentos e ajustes

O valor do contrato com as três empresas para cinco anos é de R$ 1,688 bilhão, valor que representa uma redução de 19,36% em relação ao preço estimado inicialmente. Para atender a todo o DF, as empresas investiram em 1.039 equipamentos, entre esses, 298 caminhões de vários modelos e tipos.

Lançado em maio de 2017, o pregão eletrônico referente ao processo de concorrência sofreu várias postergações devido a ajustes recomendados pelo Tribunal de Contas do DF, razão pela qual os serviços vêm sendo prestados, durante todo esse tempo, por meio de contratos emergenciais.

Implantação gradual

Agora, a população e os catadores vão, finalmente, ter acesso ao serviço de coleta seletiva, que será implantado gradualmente nas cidades ainda não atendidas. Atualmente, esse trabalho é feito pela empresa Sustentare e por 11 cooperativas de catadores de materiais recicláveis em 25 regiões administrativas, contemplando 52% da população.

Os itens recicláveis coletados por essas cooperativas são comercializados por elas mesmas, enquanto todo material recolhido pela empresa é distribuído entre os três galpões de triagem alugados pelo SLU e as duas instalações de recuperação de resíduos (IRRs), localizadas no P Sul e no SCIA. Com a ampliação do serviço para todo o DF, a expectativa é de mais do que dobrar o volume recolhido – atualmente, pouco mais de duas mil toneladas por mês.

Uma das cooperativas oriundas do antigo Lixão da Estrutural, a Coopere é hoje atua com 52 cooperados dentro da IRR do P Sul. Além do contrato de triagem no galpão, a cooperativa também tem contrato com o SLU para coleta seletiva no Riacho Fundo I e II. “Também haverá a coleta da empresa que acaba chegando para a gente no galpão, portanto eu e meus companheiros acreditamos que a nossa renda vai melhorar”, projeta o presidente da cooperativa, José Salustiano.

Dias alternados

Para racionalizar os serviços, o SLU vai alterar a frequência das rotas da coleta convencional em cerca de 35% do DF, atingindo as regiões do Plano Piloto, Sobradinho I, Planaltina, São Sebastião, Sudoeste, Cruzeiro, Lago Norte, Park Way, Jardim Botânico, Lago Sul e Guará. Nas demais regiões administrativas, a coleta já era feita em dias alternados. Os setores comerciais em todas as cidades continuarão atendidos com coleta diária.

Empresas vencedoras

A Valor Ambiental atenderá o Lote I, que contempla as regiões das Asas Sul e Norte, Cruzeiro, Sudoeste/Octogonal, Lago Norte, Varjão, Itapoã, Paranoá, São Sebastião, Fercal, Planaltina, Sobradinho I e II. O contrato com a empresa é de R$ 681,65 milhões, com o valor estimado mensal de R$ 11,36 milhões.

A Sustentare cuidará das regiões do Lote II: Brazlândia, Samambaia, Ceilândia e Taguatinga. O contrato é de R$ 455 milhões, com o valor estimado mensalmente de R$ 7,58 milhões.

Já a Consita terá sob sua responsabilidade o Lote III para prestar serviço nas regiões do Gama, Riacho Fundo II, Santa Maria, Guará, Candangolândia, Jardim Botânico, Lago Sul e Park Way. O valor do contrato é de R$ 549 milhões, com a estimativa mensal de R$ 9,14 milhões.

Novos contratos

Além da ampliação da coleta seletiva para todo DF com a prestação de serviço porta a porta, outra vantagem dos novos contratos é a instalação de 244 pontos de entrega voluntária (PEVs) para apoiar a coleta seletiva em regiões onde a coleta porta a porta não for viável. Cada empresa também terá uma equipe de mobilização formada por sete funcionários para orientar e conscientizar a população sobre a coleta seletiva.

Ao longo dos próximos cinco anos, serão instalados 382 contêineres semienterrados distribuídos em pontos de difícil acesso ao caminhão da coleta e em substituição aos receptores tradicionais estacionados nas ruas. Hoje o DF conta com 101 desses equipamentos, instalados no Condomínio Pôr do Sol, Estrutural, Vicente Pires, Sol Nascente e Areal. Outra novidade é a instalação de 21.086 papeleiras (cestos de lixo) em todo o DF.

O governador Ibaneis Rocha, por meio do Decreto nº 40.105/2019, instituiu um grupo de trabalho para definir as localizações de instalação tanto das lixeiras quanto dos PEVs e dos contêineres semienterrados. As administrações regionais fazem parte desse grupo e vão participar ativamente da distribuição, já que são a porta de entrada das demandas do cidadão.

Mais agilidade

A transparência no cumprimento dos serviços também desponta como um diferencial nesse contrato. Toda a frota será monitorada por GPS, o que vai revelar a metragem varrida, o quantitativo de horas de operação, o cumprimento das rotas da coleta e demais serviços. “Depois da assinatura da ordem de serviço, as empresas terão um prazo para enviar o sinal do GPS para que possamos fazer a comparação com o nosso planejamento. Todos os veículos e carrinhos de varrição terão GPS”, explica o diretor de modernização e gestão tecnológica do SLU, André Pimenta.

Mais agilidade e eficiência na prestação dos serviços também serão garantidas com os nove caminhões varredeiros e seis veículos-tratores com máquina de pintura de meios-fios. Com a varrição mecanizada, a estimativa é saltar de 6.900 toneladas/mês para 13.186 toneladas/mês.

A remoção mecanizada de entulhos também terá mais rapidez, com o uso de 88 caminhões basculantes e 21 pás carregadeiras para agilizar a limpeza de descartes irregulares. A média mensal atual de coleta de entulho é de 59 mil toneladas por mês, número que, com os novos contratos, deve saltar para 70.250 toneladas/mês.

Os dias e horários, tanto da coleta seletiva quanto da convencional, podem ser conferidos no site www.slu.df.gov.br, na aba “Serviços”.

 

Veja como são distribuídos os 1.039 equipamentos

EQUIPAMENTOS/VEÍCULOS

LOTE 1

LOTE 2

LOTE 3

Quantidade Total

 

Caminhão coletor compactador de 19 m³

35

37

33

105

 

Caminhão coletor compactador de 19 m³ com expansor de compartimento e braço munck

5

5

 

Caminhão coletor compactador de 15 m³ com pesagem embarcada

9

5

8

22

 

Caminhão coletor compactador de 15 m³ com expansor de compartimento e braço munck

6

9

11

26

 

Caminhão coletor compactador de 15 m³ com expansor de compartimento e braço munck com pesagem embarcada

3

3

4

10

 

Caminhão coletor baú de 30 m³ com pesagem embarcada

4

2

3

9

 

Caminhão baú de 30 m³

5

4

5

14

 

Caminhão-caçamba basculante de 6 m³

4

6

6

16

 

Caminhão-caçamba basculante de 12 m³

16

28

28

72

 

Cavalo mecânico + semirreboque caçamba basculante de 45/55 m³

8

4

7

19

 

Pá carregadeira

6

8

7

21

 

Ônibus 45 lugares

16

13

15

44

 

Caminhão carroceria aberta

2

2

2

6

 

Varredeira mecânica de grande porte

3

2

2

7

 

Varredeira mecânica de pequeno porte

2

2

 

Caminhão pipa de 12.000 l

5

4

4

13

 

Furgão equipado com hidrojato, grupo gerador e lixadeira

2

1

1

4

 

Veículo trator com máquina de pintura de meio fio

2

2

2

6

 

Veículo leve

8

7

7

22

 

Veículo moto triciclo

7

7

 

Furgão com 7 lugares

1

1

1

3

 

Lutocar com 2 rodas (120 l)

217

150

183

550

 

Soprador de ar

22

15

19

56

 

TOTAL GERAL

1039

 

 

Com informações da Agência Brasília. 


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *