fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

João de Deus deixa UTI

Condenado por estupro, violação sexual, estupro de vulnerável e porte ilegal de arma de fogo, o religioso segue no hospital, mas em um quarto comum

Avatar

Publicado

em

Foto: Agência Brasil
PUBLICIDADE

Condenado por abusar sexualmente de mulheres durante atendimentos espirituais, João de Deus, 79 anos, deixou a unidade de terapia intensiva (UTI) do hospital Sírio Libanês, em Brasília, nesta quinta-feira (29). O religioso, que chegou a ficar em estado grave, agora, está em um quarto comum.

João Teixeira de Faria ainda não tem previsão de alta, mas apresentou melhora no quadro clínico, de acordo com a unidade de saúde. João de Deus está hospitalizado desde a última sexta (23), quando passou mal em Anápolis-GO. Inicialmente, o ex-líder religioso foi a um hospital da cidade goiana e, depois, foi transferido ao DF.

João de Deus foi internado por conta de dores no tórax causadas por um problema respiratório. O religioso também faz quimioterapia devido a um câncer no estômago. O Sírio Libanês descartou a hipótese de o paciente estar infectado pela covid-19.

O médium está em prisão domiciliar desde março, quando a juíza Rosângela Rodrigues dos Santos autorizou a transferência por se tratar de um detento no grupo de risco da covid-19. Ele é obrigado a usar tornozeleira eletrônica e está proibido de manter contato com testemunhas e vítimas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) ainda não concedeu autorização para a saída do perímetro da prisão domiciliar. Em situações de emergência, no entanto, a Justiça permite ao preso comunicar a internação posteriormente.

Condenação

João de Deus acumula 63 anos e quatro de meses de prisão em três condenações diferentes: estupros contra cinco mulheres (40 anos em regime fechado), violação sexual mediante fraude contra duas mulheres e estupro de vulnerável contra outras duas (19 anos e quatro meses em regime fechado) e porte ilegal de armas (quatro anos em regime aberto). O médium nega as acusações de abuso sexual.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade