fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Ibaneis afirma que quarentena será prorrogada até 13 de abril

Novo prazo foi anunciado nesta terça (31). No DF, já são 312 casos e duas mortes causadas pelo novo coronavírus

Willian Matos

Publicado

em

PUBLICIDADE

O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou, nesta terça-feira (31), que irá prorrogar a quarentena no Distrito Federal. Agora, os serviços considerados não essenciais ficarão suspensos até o dia 13 de abril (o prazo anterior venceria no dia 5 de abril). Há possibilidade de nova prorrogação.

A informação foi confirmada ao Jornal de Brasília por integrantes do Palácio do Buriti. É a quarta mudança no decreto inicial. O novo prazo deve ser publicado no Diário Oficial (DODF) em breve.

“O que tá valendo realmente é a defesa da saúde coletiva. Por isso, as medidas adotadas — que podem parecer duras — são necessárias. Nós estamos seguindo protocolos internacionais, trabalhando com profissionais da mais alta qualidade, fazendo um trabalho de prevenção muito forte”, afirmou o governador à Band News FM.

O novo prazo vem em defesa do crescimento dos casos de coronavírus no DF. Os dados mais recentes mostram que já são 312 pacientes infectados pelo covid-19 na capital. Até o momento, dois moradores vieram a óbito.

Quanto às regiões administrativas que mais apresentam casos, o Plano Piloto lidera o ranking, com 90 pacientes infectados. Em seguida, vem Lago Sul com 53; Águas Claras e Sudoeste/Octogonal, tem 32 casos de covid-19 cada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Ibaneis afirmou que a medida poderá ser prorrogada até maio, já que o pico da doença está previsto para a segunda quinzena de abril e o começo de maio. 

“Não tem último dia de quarentena. O último dia será quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) disser que isso acabou, que teremos tratamento e que pudermos sair com segurança”, disse Ibaneis. “A gente tem que ir fazendo isso aos poucos, liberando alguns setores que possam voltar ao trabalho, com menos impacto e que ajudem a população. Só isso”, disse. 

As escolas seguirão de portas fechadas até o fim do semestre. “Sobre o retorno de aulas, por exemplo, eu não calculo o retorno antes de junho, de maneira nenhuma. Se todos nós, autoridades e população, seguirmos as orientações de isolamento e cuidados, mais cedo vamos sair dessa crise. A medida do isolamento é dura e difícil, mas é necessária”, disse Ibaneis.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade