Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Homem suspeito deixa escola da Asa Norte em alerta

Publicado

em

Ana Lúcia Ferreira
ana.ferreira@grupojbr.com

Pais, mães e responsáveis estão assustados e preocupados com a tentativa de invasão de um homem a uma escola infantil na Asa Norte. O caso aconteceu na última segunda-feira (4), por volta das 14h, na Escola Pedacinho do Céu, localizada na entrequadra 108/308, e se repetiu no dia seguinte. O suspeito, já identificado, é o ex-policial civil Edílson Menezes da Cruz. Aos 49 anos, ele acumula uma extensa ficha criminal, com cerca de 50 registros.

Em um grupo de troca de mensagens, uma mulher detalha por meio de áudio o que ocorreu. Segundo o relato, o homem “entrou com o argumento de que queria passar para a outra quadra, aproveitando o fato de a escola ter duas portarias”. A mulher conta que, ao ser barrado pelo porteiro, “Edilson chegou a empurrar o funcionário, que revidou a agressão e colocou o suspeito para fora”. Porém, no dia seguinte, ele voltou à instituição. A gravação diz que o homem chegou a acessar o hall de entrada e tomar água, antes de sair do local. No relato, ainda é dito que uma mãe teria sido abordada por Edílson, nas proximidades da escola, com perguntas e conversas desconexas.

Imagens das câmeras de segurança conseguiram filmar o carro em que o homem estava, uma van de cor prata. Após o ocorrido, a escola emitiu um comunicado aos responsáveis informando as providências tomadas. No documento, assinado pela direção, é dito que foi realizada a contratação de um novo porteiro, um segurança para realizar rondas ao redor da escola, o fechamento definitivo do portão secundário, além de manter a porta principal do colégio trancada nos horários contrários à entrada e saída dos alunos.

 

Reprodução

 

Ficha extensa

Os motivos da “visita” de Edilson Menezes da Cruz à escola ainda são desconhecidos. O Jornal de Brasília apurou que o ex-policial, expulso da corporação em 2001 por estupro e atentado violento ao pudor, tem cerca de 50 registros em sua ficha. Entre os crimes cometidos, constam ao menos quatro estupros, tráfico de drogas, corrupção passiva e violência doméstica. Atualmente, o homem está em prisão domiciliar.

A reportagem tentou contato com a escola e a Polícia Civil, mas, até a publicação desta matéria não obteve resposta.

Carro em que Edílson circulou nos dias em que esteve na escola.

Outras confusões

Em abril de 2009, Edilson manteve durante cinco horas a, na época, mulher, Joeci da Silva Brito e a enteada de cinco anos, reféns dentro de casa. O crime ocorreu no conjunto K, da QE 15, no Guará II.

A polícia foi acionada e, após horas de negociação, houve troca de disparos com o sequestrador. Antes, o homem chegou a efetuar dez disparos dentro da casa. Apenas Edílson foi baleado no braço direito e encaminhado algemado ao hospital.

Cinco meses depois, em setembro do mesmo ano, Edilson foi acusado de ameaçar os vizinhos. Ele teve um mandado de prisão preventiva decretado depois de não comparecer a uma audiência na Justiça.

 


Você pode gostar
Publicidade