fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Covid-19: Ibaneis estuda reduzir horário de funcionamento de bares

Capacidade máxima também poderá ser reduzida. Governador afirma que, se não houver conscientização da população, medida será tomada em prevenção à covid-19

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Willian Matos e Catarina Lima
[email protected]

O governador Ibaneis Rocha disse que estuda reduzir o horário de funcionamento e a capacidade máxima de bares no Distrito Federal. Isso porque preocupa a possível segunda onda da covid-19 que pode chegar à capital, além de os casos de aglomeração e desrespeito às medidas de prevenção contra a doença têm aumentado.

Nesta terça-feira (1), o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, se reúne com representantes de todo o comércio para estudar medidas de conscientização da população. Ibaneis afirmou que, caso não haja essa conscientização, o GDF tomará medidas restritivas.

“Eu pedi a ele [secretário de Saúde] para que se reunisse para que a gente tenha, primeiramente, um movimento de conscientização. Caso contrário, nós vamos adotar algumas medidas restritivas que serão necessárias, principalmente no que diz respeito aos bares, onde nós temos visto uma aglomeração muito grande”, revelou o governador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Ou eles partem para nos ajudar na conscientização, ou, infelizmente — ou felizmente, porque que tenho que cuidar da saúde da população — eu vou ter que encerrar o expediente desses locais cada vez mais cedo e implementar restrições à quantidade de pessoas.”

O chefe do Executivo afirma que as medidas ainda estão em estudo e que preferiu, antes de tomar alguma decisão, dialogar com o setor para que haja a tão buscada conscientização. “Caso contrário, infelizmente — e aí eu falo pelo lado dos comerciantes — nós vamos ter que adotar medidas para proteger a população.”

Ibaneis comentou também que, no último fim de semana, ordenou que o DF Legal fizesse vistoria em bares e restaurantes para verificar se estavam sendo cumpridas as medidas de prevenção, como distanciamento, disponibilização de álcool em gel, entre outras. Foram 84 estabelecimentos vistoriados: 20 deles tiveram de ser interditados, e outros 23 foram autuados. “Nós tivemos um número muito elevado de autuações”, avalia o governador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Casos

O boletim mais recente do GDF aponta que já são 229.146 o número de infectados pela doença na capital. Destes, 3.930 perderam a vida, e 6.734 estão com o vírus ativo no organismo.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade