fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Codeplan publica estudo sobre mobilidade urbana; ônibus é meio de locomoção mais usado no DF

Os dados revelados irão subsidiar a elaboração de políticas públicas voltadas para a mobilidade

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Nesta sexta-feira (25) a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) publicou um recorte que retrata os perfis do pedestre e de quem utiliza automóvel próprio ou ônibus para deslocamento no Distrito Federal. A pesquisa foi feita a partir de os dados da última Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (PDAD).

Os dados revelados irão subsidiar a elaboração de políticas públicas voltadas para a mobilidade, um dos principais desafios para a gestão pública nos grandes centros urbanos.

O recorte da PDAD permite analisar a mobilidade a partir do deslocamento por motivo de trabalho e por motivo de estudo, e traz dados por gênero, raça e renda. “Estudos como esse são muito relevantes para a análise do cenário da mobilidade e para a proposição de estratégias que otimizem o deslocamento. O estudo conclui, entre outras coisas, a disparidade entre os gêneros: as mulheres são as que mais se deslocam a pé ou de ônibus e os homens são os que mais utilizam automóveis” detalha Jean Lima, presidente da Codeplan.

Os dados mostram que a população negra é a que mais utiliza o transporte público para se deslocar até o trabalho, representando 66,1% dos usuários, enquanto os não negros representam 33,9%. Assim como os outros modos de deslocamento, exceto o uso do automóvel, no qual a diferença não é significativa, a utilização de ônibus é superior tanto entre os homens negros quanto entre as mulheres negras, em relação aos não negros. O uso de motocicleta e bicicleta é maior entre homens negros e as mulheres negras são as que mais andam a pé (35,5%).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As RAs que concentram maior renda possuem maior número de automóveis por domicílio, sendo alta a relação entre renda, posse e uso do automóvel. Há também aqueles que não possuem carro, mas o utilizam de alguma forma (por carona, via aplicativo, etc) para ir ao trabalho, sendo o percentual mais expressivo no grupo de maior renda. Mesmo na ausência do automóvel, a adesão ao deslocamento por ônibus é mais baixa na faixa de alta renda do que nas demais. O deslocamento a pé se mostrou como opção expressiva (28,7%) para o grupo de maior renda sem automóvel.

O estudo revela que os modos de deslocamento mais utilizados no Distrito Federal são ônibus, automóvel e a pé, respectivamente. Entre as mulheres, o modo mais utilizado é o ônibus, enquanto entre os homens, utiliza-se mais o automóvel. O uso de motocicleta e bicicleta também é superior entre os homens. No recorte por gênero e faixa etária, nota-se que, conforme a idade aumenta, diminui-se a utilização de ônibus e cresce a utilização do deslocamento a pé. Entre os homens, o uso do automóvel aumenta e tem seu pico acima dos 60 anos; já entre as mulheres esse pico ocorre entre os 40 e 59 anos, e depois reduz.

Acesse o estudo completo COMO ANDA BRASÍLIA – Um recorte a partir dos dados da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio, bem como o Sumário Executivo.

Serviço

Como anda Brasília:um recorte a partir dos dados da PDAD
Data: 25/09
Horário: 15h
Onde: Portal Oficial da Codeplan
Mais informações: (61) 98260-9119

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade