fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Cartão Material Escolar tem o prazo de utilização prorrogado

Créditos podem ser usados até 25 de novembro. Chip de operadora de celular integra a lista de compras nas papelarias credenciadas

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Os estudantes beneficiados com o Cartão Material Escolar (CME) podem utilizar os valores ainda existentes nos cartões até o dia 25 de novembro. O prazo foi ampliado, pois a Secretaria de Educação do Distrito Federal, por meio da Portaria nº 343, incluiu o chip das operadoras de celular entre os itens permitidos para compra nas papelarias credenciadas. O objetivo é que esses estudantes tenham mais tempo para adquirir o produto.

Com o prazo de utilização dos créditos prorrogado – antes marcado para 25 de outubro – a iniciativa tem a intenção de permitir o acesso gratuito à plataforma Google Sala de Aula, de alunos que ainda não estejam utilizando o serviço. Ao todo, estão cadastrados na plataforma cerca de 470 mil estudantes e 72 mil profissionais da educação.

Internet gratuita

Fizeram a adesão ao chamamento público para o fornecimento de pacotes de dados com cobrança reversa as operadoras Vivo, Claro e Tim. Dessa forma, os chips a serem adquiridos para a utilização da internet gratuita devem ser dessas empresas.

Estudantes da Educação Infantil, do Ensino Especial e do Fundamental receberam R$ 320, cada, no Cartão Material Escolar. No Ensino Médio, o aluno recebe R$ 240. Desde o início do ano letivo, são R$ 33 milhões injetados na economia do Distrito Federal com os cartões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O CME é destinado aos estudantes matriculados na rede pública de ensino do Distrito Federal, cujas famílias são beneficiárias do Programa Bolsa Família. Assim, cerca de 106 mil estudantes são contemplados.

Consulta dos créditos

Com o prazo estendido para uso dos últimos créditos, cada beneficiário pode conferir o valor ainda disponível no aplicativo BRB Card Pré-pago. O cartão deve ser utilizado em papelarias credenciadas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE).

As infomações são da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade